Lance Em estreia de Ney Franco pelo CSA, Goiás vence e vai ao G-4 da Série B

Em estreia de Ney Franco pelo CSA, Goiás vence e vai ao G-4 da Série B

Novo técnico do Azulão conheceu sua primeira derrota no comando do time alagoano; Esmeraldino encosta nos líderes da competição

Lance
Lance

Lance

Lance

Em confronto realizado na noite desta quarta-feira, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, CSA e Goiás mediram forças no estádio Rei Pelé, em Maceió. Mesmo sofrendo investidas por parte do Azulão logo nos primeiros movimentos, o Esmeraldino, na reta final de primeira etapa, encontrou seu único gol que o fez subir na classificação.

Com o resultado, o time comandado por Pintado chegou aos 19 pontos, pulando para o 4º lugar, entrando no G-4. Já a equipe de Ney Franco acabou parando na 13ª colocação com seus 11 pontos, dois a menos que a Ponte, que hoje abre o Z-4.

INÍCIO MELHOR POR PARTE DO CSA

Fazendo valer o fator casa, a equipe do CSA, que estreava o técnico Ney Franco no banco, não queria saber de dar espaços ao Goiás. Com isso, até meados dos 15 minutos, além de ficar mais com a posse de bola, criou duas boas chances com Dellatorre, mas que parou na boa defesa do goleiro Tadeu, além de Geovane, em um forte chute de longe exigindo uma nova intervenção do camisa 1 do Esmeraldino.

GOIÁS MELHORA E ABRE O PLACAR NA RETA FINAL DA PRIMEIRA ETAPA

Mesmo sofrendo investidas na sequência por parte dos donos da casa, aos poucos os visitantes conseguiam avançar também. Sendo assim, em meados dos 24 minutos, em uma primeira chegada, Alef Manga, ao receber por trás da defesa, conseguiu bater para o gol, mas a bola acabou indo para fora, dando a deixa para Ivan, aos 26, passar para Elvis, em boas condições, porém também viu sua bola ir pra fora para lamentação do meia.

Animado, o Esmeraldino, aos 39, finalmente conseguiu tirar o zero do placar no Rei Pelé. Em uma nova chegada, outra vez ele, Alef Manga, após erro de Ewerthon, o atacante pegou a sobra para chutar forte sem chances para o arqueiro do Azulão.

COMEÇO DE SEGUNDO TEMPO EQUILIBRADO

Retornando para a etapa final, apenas Pintado promoveu uma troca tirando o autor do gol, Alef Manga, para colocar em seu lugar Dieguinho. E o panorama em campo foi de extrema intensidade. Antes mesmo dos 5 minutos completados, Dadá Belmonte, para o Goiás, chegou a arriscar um forte chute, mas viu sua bola parar nas luvas do goleiro Thiago Rodrigues.

Por outro lado, o CSA não deixou barato. Sendo assim, respondeu logo em seguida com Dellatorre, obrigando Tadeu a fazer uma bonita defesa, além de Gabriel, que viu sua bola acertar a trave, lamentando o que poderia ser o empate do time alagoano.

MUDANÇAS NÃO SURTEM EFEITO E VISITANTES SEGURAM O RESULTADO

Apostando em seus suplentes ao longo do segundo tempo, Ney Franco mantinha as esperanças em ver sua equipe, ao menos, arrancar um empate. Entretanto, mesmo colocando Bruno Mota, Marco Túlio e Aylon, foram poucos os momentos que realmente ofereceram perigo ao sistema defensivo do rival, com exceção do chute de Bruno Mota que acabou acertando a trave.

Percebendo as trocas por parte dos mandantes, Pintado também recuou para seus substitutos. Melhorando seu meio-campo, o treinador colocou nomes como Everton Brito e Luan Dias, visando neutralizar as chegadas do Azulão. Sendo assim, até os acréscimos dado pelo árbitro, o Esmeraldino conseguiu segurar a pressão final por parte do Azulão, mantendo o placar mínimo até a arbitragem colocar um ponto final na partida em Maceió.

FICHA TÉCNICA
CSA x GOIÁS - 11ª RODADA DO BRASILEIRÃO SÉRIE B
Estádio: Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 14 de julho de 2021, às 19h (de Brasília)
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (CBF-RJ)
Assistentes: Lilian da Silva Fernandes Bruno (CBF-RJ) Thiago Gomes Magalhães (CBF-RJ)
Cartões amarelos: Fabrício (CSA) / Reynaldo, Caio, Elvis, Alef Manga e Nicolas (GOI)
Cartões vermelhos: -

Gols: Alef Manga, aos 39'/1ºT

CSA (Técnico: Ney Franco)
Thiago Rodrigues; Ewerthon (Fabrício, aos 43'/2ºT), Matheus Felipe, Lucão e Kevyn; Geovane (Bruno Mota, aos 14'/2ºT), Yuri (Giva Santos, aos 42'/2ºT), Gabriel e Renato Cajá (Aylon, aos 28'/2ºT); Marco Túlio (Yago, aos 14'/2ºT) e Dellatorre.

GOIÁS (Técnico: Pintado)
Tadeu; Ivan, Matheus Salustiano, Reynaldo e Artur; Breno, Caio (Daniel Oliveira, aos 23'/2ºT), Dadá Belmonte (Everton Brito, aos 29'/2ºT) e Elvis (Luan Dias, aos 29'/2ºT); Bruno Mezenga (Nicolas, aos 13'/2ºT) e Alef Manga (Dieguinho, no intervalo).

Últimas