Lance É verdade que seis mil trabalhadores morreram nas obras da Copa do Mundo? Checamos

É verdade que seis mil trabalhadores morreram nas obras da Copa do Mundo? Checamos

Os números divulgados se baseiam em dados de cinco países com imigrantes no Qatar e foram publicados pela primeira vez pelo jornal britânico The Guardian

Lance
Lance

Lance

Lance

Além das diversas restrições que o Qatar tem feito para os turistas que estarão no país da Copa do Mundo, em que muitas delas violam os Direitos Humanos, outra questão assustadora vem sendo abordada constantemente em todo o planeta: o número de trabalhadores mortos nas obras para a realização do Mundial. As mortes foram publicadas pela primeira vez pelo diário britânico ‘The Guardian’, em 2021, cerca de 6500 trabalhadores imigrantes morreram no país. Porém esses números não são bem assim.

O próprio The Guardian depois afirmou que seus dados foram fornecidos pelas autoridades de cinco países do Sudeste Asiárico. E mesmo assim, eles divulgaram que as certidões de óbitos não se baseiam em locais de trabalho ou profissão, o que tornam os números totalmente contraditórias, até mesmo para efeito de estatísticas.

Juntamente com isso, chegou-se a falar de mais de 15 mil mortes de imigrantes trabalhando nas obras para o Mundial de 2022, em dados estatísticos da Anistia Ampla Internacional. Entretanto, os números da Anistia são relativos ao número de mortes de imigrantes no país entre 2010 e 2019. Com isso, o número total atualizado destes dados é de 15.021 mortes na década.

+ Quem joga domingo na Copa do Mundo? Saiba o horário do primeiro jogo

Os números recebidos pelo The Guardian são estatísticas oficiais dos governos do Bangladesh, Índia, Nepal, Paquistão e Sri Lanka. Os imigrantes desses países são a grande maioria no Qatar e trabalham como mão de obra barata. Mesmo assim, não é possível confirmar estes dados relativos ao Mundial.

O que se sabe é que pelo Qatar estar violando diversos direitos humanos na realização desta Copa do Mundo, chegou-se a conclusão que muitos trabalhadores morreram por trabalhar em condições insalubres.

De qualquer maneira, a Amnistia Internacional e a Human Rights Watch (HRW) pediu à FIFA que crie fundos de indenização para os trabalhadores migrantes, devido aos acidentes que realmente aconteceram durante todo o processo de obras para a Copa do Mundo. Porém, os números oficiais de mortes e feridos não foram divulgados.

+ Saiba quais foram os países que compraram mais ingressos para a Copa do Mundo

Realmente, é impossível se ter ideia, sem dados oficiais, de quantas mortes aconteceram no local de trabalho, visando obras para a Copa, assim como a quantidade de trabalhadores efetivos que estiveram nesse processo. De certo é que essa Copa do Mundo ainda nem começou , mas os problemas seguem cada vez mais fortes.

Últimas