Lance Dudu chora ao falar de porta aberta no Palmeiras e admite que acusação influenciou saída: 'Eu não teria paz'

Dudu chora ao falar de porta aberta no Palmeiras e admite que acusação influenciou saída: 'Eu não teria paz'

Em entrevista coletiva, atacante foi às lágrimas ao lembrar da conversa com Maurício Galiotte, presidente do Verdão, e falou que acusação de agressão à ex-mulher pesou

Lance
Lance

Lance

Lance

A saída do Palmeiras, confirmada nesta segunda-feira, tem emocionado Dudu. Como ocorreu em entrevista exclusiva ao LANCE!, o atacante foi às lágrimas durante entrevista coletiva virtual que deu direto do Qatar. O novo jogador do Al Duhail admitiu a influência da acusação de agressão à ex-mulher, Mallu Ohana, na sua decisão de pedir para ser negociado, e chorou ao lembrar que ouviu do presidente Maurício Galiotte que terá para sempre as portas abertas.

- Tenho na minha cabeça que ainda posso voltar e ter conquistas ainda maiores no Palmeiras. Falo convicto que é uma pausa. Como o presidente falou para mim, é a minha casa. Espero ter essas portas abertas quando voltar. É o clube que amo, que me deu visibilidade. Não tem por que voltar a outro clube. Dou minha palavra, e pode acreditar que vou cumprir. Não preciso de papel - disse Dudu, que foi por empréstimo, de um ano, sob pagamento de 7 milhões de euros (aproximadamente R$ 43 milhões), mas quer ficar mais tempo no país.

- Eu estava ciente da proposta. Quando aconteceu o problema com a mãe dos meus filhos, era todo dia uma matéria, uma entrevista, uma mentira diferente. Eu não ia ter a paz que preciso para jogar futebol.Tenho certeza de que, se fico, o Palmeiras, o torcedor e os companheiros iam me tranquilizar, como aconteceu outras vezes. Mas achei que era o momento de dar uma pausa - comentou Dudu, que, antes da acusação, chegou a dizer que gostaria de não sair mais do Palmeiras em live promovida pelo clube.

- Esse episódio teve bastante parcela nessa minha vinda para cá. Era o momento de sair, respirar, tranquilizar e jogar futebol. Mesmo sabendo que sou inocente e não fiz nada. As testemunhas e imagens provam isso. Estou com a cabeça bem tranquila porque a justiça tem tudo em mãos para provar isso. Falei que queria cumprir meu contrato no Palmeiras, mas, infelizmente, aconteceram esses problemas fora do Palmeiras - argumentou.

Sem metas que obrigam a compra, Dudu será emprestado por 7 milhões de euros. Está previsto o pagamento de 1 milhão de euros (R$ 6,1 milhões) como bônus pelo desempenho de Dudu. E há um valor fixado de mais 6 milhões de euros (R$ 36,7 milhões) para compra, caso o time do Qatar deseje. E o Palmeiras acredita que o jogador convencerá o Al Duhail a desembolsar, no total, 13 milhões de euros (R$ 79,5 milhões), fora o bônus, para tê-lo em definitivo. Ainda assim, o Verdão manteria 20% dos seus direitos econômicos.

- Agradeci muito ao presidente (do Al Duhail) por ter insistido. Outro time não teria me contratado, teria desistido. Eles confiaram nas pessoas que trabalham comigo. Entrei na sala do presidente do Palmeiras e pedir desculpa. Não acho legal para jogador e para o clube estar nas páginas policiais. Abri meu coração e ele me entendeu. Foi uma negociação complicada. Espero que a torcida me entenda - comentou, se emocionando novamente ao falar dos filhos.

- É a parte mais difícil, criança é muito verdadeira. Mas as crianças não vão deixar de torcer para o Palmeiras. Espero que meus filhos continuem no futebol do Palmeiras. Meu pequeno chorou por eu estar saindo do Palmeiras, mas tenho certeza que já já vão encontrar um novo jogador que trará felicidade a eles como fiz nesses cinco anos. Agradeço de coração - declarou.

Últimas