Curitiba suspende atividades de clubes esportivos na capital

Transmissão ao vivo da secretária de Saúde comunicou medidas mais rígidas de isolamento social em que Athletico é o mais afetado do "Trio de Ferro"

Athletico Paranaensa vai ser mais prejudicado que Coritiba e Paraná

Athletico Paranaensa vai ser mais prejudicado que Coritiba e Paraná

Bruno Baggio/Athletico-PR

Quando o estado do Paraná parecia se encaminhar a aceleração dos trâmites para o retorno do futebol ser a pauta principal, uma transmissão ao vivo feita pela secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Haçuluk, jogou um verdadeiro "balde de água fria" nesse sentido.

Isso porque a autoridade sanitária da capital do estado informou no último sábado (13) que o Decreto 774/2020 entraria em curso nesta segunda-feira trazendo um protocolo mais restrito como forma de reagir a entrada no chamado Alerta Laranja de classificação de contágio, considerado de risco médio.

Dentro das novas medidas, além de igrejas e templos religiosos, praças e parques públicos, todas as atividades de entretenimento, com ou sem musica de forma eventual ou periódica (como teatros, festas e atividades correlatas),
bares e atividades correlatas, clubes sociais e esportivos além de academias e todas as práticas de esporte voltaram a ser proibidas.

Pensando no "Trio de Ferro" dos clubes paranaenses (Athletico-PR, Coritiba e Paraná), o mais afetado do grupo acaba sendo o Furacão puramente por uma questão geográfica. Isso porque, enquanto o CT do Caju fica dentro da cidade de Curitiba, as estruturas de Coxa e Tricolor funcionam na Região Metropolitana, mais precisamente em Colombo e Quatro Barras.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Veja casa onde Neymar passa fim de quarentena na França com amigos