Lance Comrades Marathon não terá largada neste domingo. Só em 2021

Comrades Marathon não terá largada neste domingo. Só em 2021

Uma das principais ultramaratonas do mundo, na África do Sul, é cancelada por causa da pandemia da Covid-19

Lance
Lance

Lance

Lance

A icônica Comrades Marathon não vai acontecer neste domingo (14). Só em 2021, quando a "mãe das ultramaratonas" completa 100 anos. Essa é a primeira vez, nos últimos 75 anos, que a largada, com cerca de 20 mil corredores de todo o mundo, não será realizada. Se entre 1941 e 1945, a prova de 89,9km, entre Durban e Pietermaritzburg, na África do Sul, não ocorreu por causa da Segunda Guerra Mundial, o motivo deste ano é a pandemia da Covid-19.

A Comrades Marathon Association (CMA) relutou muito em mudar a data, mas teve que aceitar, há quase um mês, os argumentos do governo sul-africano sobre os riscos de realizar a prova, pois a Covid-19 ainda está no auge na África do Sul. Os números do país, no dia 7 de junho, eram de 55.421 casos confirmados e 1.210 mortes. Mesmo nos dias mais sombrios do regime do apartheid no país, a Comrades foi um dos poucos eventos esportivos em que não havia a terrível segregação racial.

A CMA ainda tentou convencer a Athletics South Africa (ASA), órgão do governo que comanda o atletismo na África do Sul, de fazer a prova o mais tardar em setembro de 2020, mas o clima quente ameaçaria a segurança dos corredores.

"Cancelar a que seria a 95ª edição da Comrades foi uma decisão longa e árdua de ser tomada", disse o presidente da ASA, Alex Skhosana. “Com a rica história da corrida, seus poderosos atributos de construção da nação e sua contribuição para a coesão social, bem como seu imenso impacto econômico, seria prematuro acelerar o cancelamento mais cedo. No entanto, acreditamos que chegamos à decisão correta de proteger a saúde e a segurança de todos os envolvidos, bem como a vida de nossos companheiros sul-africanos”.

A presidente da CMA, Cheryl Winn, também lamentou o cancelamento.

“É com profunda tristeza e pesar que o Conselho da CMA, em conjunto com a ASA, teve que tomar essa decisão", explicou ela. “Esperávamos adiar a Comrades para uma data até o final de setembro, mas teríamos problemas com as condições climáticas. A pandemia da Covid-19 também não está mostrando sinais de diminuição e a estimativa é que seu pico será nos próximos meses. Por isso, cabe a CMA priorizar a saúde, a segurança e bem-estar de nossos atletas e voluntários, entre outros envolvidos. Lamentavelmente, não realizaremos a edição deste ano do principal evento de corrida do país".

“Por mais triste que seja, como a CMA agora podemos voltar nosso foco para a realização de nossas celebrações para os 100 anos da prova no próximo ano. E uso o tema desta edição que foi cancelada: 'Iphupho Lami (Ousar é um sonho)”, disse Winn.

A história da Comrades

A Comrades Marathon foi criada em 1921 pelo britânico Vic Clapham, um ex-combatente da Primeira Guerra Mundial, como forma de homenagear aos soldados mortos em batalhas. A primeira edição teve a participação de 34 corredores, mas somente 16 conseguiram finalizar o percurso. A vitória foi do sul-africano Bill Rowan, com 8h59m.

Com 30 participações, o sul-africano Bruce Fordyce é considerado o Rei da Comrades. Foi campeão em nove oportunidades, sendo oito vitórias consecutivas, entre 1981 e 1988, e a última em 1990. Em 1986, quando a prova foi no sentido de descida, ele conseguiu a marca de 5h24m07, recorde que perdurou por 21 anos. Na sua 30ª Comrades, em 2012, aos 56 anos, ele fechou o percurso em 8h06m10s.

O recorde atual é do também sul-africano David Gatebe, com 5h18m19s, em 2016. A melhor marca no sentido de subida é do russo Leonid Shvetsov, com 5h24m39s, em 2008.

Outra importante prova sul-africana, a ultra Two Oceans, também foi cancelada este ano por causa do novo coronavírus. Disputada em Cape Town, com 56km, passando pelas costas dos oceanos Índico e Atlântico, os organizadores já agendaram a prova, que reúne cerca de 11 mil corredores, para 3 de abril. O Campeonato Nacional da ASA também foi cancelado devido ao impacto do Covid-19.

Últimas