Lance Atleta de Uganda deixa carta e desaparece no Japão dias antes de ser cortado dos Jogos Olímpicos

Atleta de Uganda deixa carta e desaparece no Japão dias antes de ser cortado dos Jogos Olímpicos

Levantador de pesos Julius Ssekitoleko, de 20 anos, não compareceu ao exame diário de Covid-19 e não foi encontrado no hotel. Ele estava em grupo que seria cortado, diz portal

Lance
Lance

Lance

Lance

Um atleta levantador de peso da equipe que disputará os Jogos Olímpicos por Uganda, países localizado no oriente da África, foi dado como desaparecido, nesta sexta-feira, no Japão. Após não ser encontrado no hotel onde está a delegação, na cidade de Izumizano, e ser ausência pela manhã no exame rotineiro da Covid-19, Julius Ssekitoleko, de 20 anos, é procurado por agentes locais. Horas depois, foi encontrada uma carta do atleta.

+ BRASILEIRÃO: Saiba os jogos da próxima rodada e veja a classificação

+ Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

De acordo com infomações do porta-voz da prefeitura local, a Polícia já foi acionada e Julius pode inclusive ter deixado a cidade. Em um bilhete deixado por ele, o atleta afirma que irá para a cidade japonesa Nagoia, a cerca 200 quilômetros de onde sua delegação está hospedada. Ele afirma não querer voltar para seu país e que deseja "tentar a vida" trabalhando no Japão - saiba mais sobre a competição aqui.

+ Cama para evitar sexo em Tóquio? Saiba como é paquerar na Vila Olímpica

Na mensagem, Ssekitoleko conta que a vida em seu país é "difícil" e solicita aos membros de sua delegação que entreguem seus pertences para a esposa dele, segundo o portal Kyodo News. Outro fato chama a atenção: o esportista havia ido para o Japão para treinamentos em junho com a equipe de Uganda, mas seria cortado dos Jogos Olímpicos.

O presidente da Federação de Halterofilismo de Uganda, Salim Musoke Ssenkungu, conta ao portal AFP que o atleta treinou "muito" para sua primeira grande competição internacional, mas que esta semana foi informado de que não poderia competir. Mesmo com o retrospecto negativo para a Olimpíada, Ssekitoleko possui experiência internacional, com competições na Costa do Marfim, Quênia e Egito. Em maio, ele conquistou o bronze no Campeonato Africano, em Nairóbi.

Últimas