Atacante do Paraná, Pimentinha projeta clássico estadual pela Série B

Rivais se enfrentam nesta rodada, buscando subir na classificação e encostar nos líderes da segunda divisão nacional. Paraná luta para encerrar jejum de vitórias em casa

Lance

Lance

Lance

O Paraná não vence em casa pelo Campeonato Brasileiro da Série B desde a 9ª rodada, quando bateu o Bragantino por 2 a 1. Por isso, o clássico deste sábado diante do Coritiba terá um peso além dos três pontos e da rivalidade.

Desde o triunfo diante do líder, o Tricolor jogou 16 vezes na Vila Capanema e venceu apenas quatro, pouco para quem almeja o acesso. O que ajuda a equipe no atual momento é o equilíbrio da competição. Mesmo irregular, o Paraná, 13º colocado, está apenas três pontos do G4.

- Estamos fazendo jogos realmente bons. Temos pecado em alguns aspectos e isso pesa muito em um torneio de alto nível como é a Série B. Deixamos de somar pontos importantes que nos deixariam no G4. Agora é entrar com tudo diante do rival porque uma vitória contra o Coritiba vale mais que os três pontos - disse o atacante Pimentinha.

O Coritiba, apesar de ter vencido o último compromisso diante do América-MG, também está passando por dificuldades na Série B. Foram quatro derrotas e dois empates nos últimos sete jogos.

- Eles têm uma equipe forte e por isso fazem um bom campeonato no geral. Será um jogo muito difícil, mas precisamos aproveitar a nossa casa. Vencer uma partida deste tamanho nos ajuda na tabela e também nos dá moral para os próximos compromissos. O apoio do torcedor será essencial para nós.

Desde que chegou ao clube, no fim de agosto, o camisa 18 participou de cinco partidas, todas saindo do banco de reservas. Para ele, é importante ter essa confiança da comissão-técnica mesmo sendo novo no clube.

- Cheguei há pouco tempo e o professor Matheus tem contado comigo nos jogos. Fico feliz com essa confiança e tenho tentado retribuir dentro de campo. Estou cada vez mais entrosado aos meus companheiros e sinto que aos poucos entregarei cada vez mais nos jogos.