Lance Árbitro relata ameaças de morte em jogo da Série B1 do Carioca; atacante se defende: 'Não sou bandido'

Árbitro relata ameaças de morte em jogo da Série B1 do Carioca; atacante se defende: 'Não sou bandido'

Andrew Ferreira de Melo relatou na súmula que foi atingido na nuca por um soco de Richard, camisa 17 do Duque de Caxias, e que foi ameaçado de morte pelo jogador

Lance
Lance

Lance

Lance

As semifinais da Série B1 do Campeonato Carioca foram marcadas por muita confusão, mas Nova Iguaçu e Sampaio Corrêa levaram a melhor nas disputas contra Duque de Caxias e Maricá, respectivamente, e já garantiram o acesso para a elite do futebol do Rio de Janeiro.

As duas semifinais, realizadas na última quarta-feira, terminaram em confusão. O árbitro que comandou a vitória do Nova Iguaçu sobre o Duque de Caxias por 1 a 0 relatou na súmula agressões e ameaças de morte por parte de jogadores e membros da comissão técnica do Tricolor da Baixada.

O árbitro Andrew Ferreira de Melo e os seus assistentes Flávio Manoel da Silva e Márcio Moreira de Queiroz foram alvos dos jogadores do Duque de Caxias logo após o apito final. Na súmula, o juiz relata que foi atingido na nuca por um soco de Richard, camisa 17 do Duque, que em seguida o ameaçou de morte.

- Tu vai morrer, sou bandido do Chapadão - relatou o árbitro na súmula.

Richard nega que tenha ameaçado do árbitro. O jogador, que está sendo orientado pelo departamento jurídico do clube, não descarta mover uma ação contra o árbitro pela acusação na súmula. Em nota oficial, o camisa 17 explicou a confusão após o apito final.

- Realmente eu me exaltei após o fim da partida e parti pra cima do trio de arbitragem para questionar a péssima atuação deles. Passei um pouco do limite na hora de questionar, e sei que não agi da melhor maneira. Mas é importante afirmar que não agredi ninguém, e em momento algum disse que era bandido do Chapadão ou morro algum. O árbitro falta com a verdade ao relatar tal afirmação, e vai precisar provar. Não sou bandido! Sou atleta profissional de futebol, ganho a vida dentro de campo e sustento minha família dessa forma. Sou de uma família humilde, e sempre fui educado e orientado para viver longe do crime e das amizades ruins. Sei o valor do meu trabalho, e respeito aqueles que apostam e dependem de mim - disse Richard, que revelou ter sido ameaçado pelo quarto árbitro, que se identificou como policial.

- Na discussão com o quarto árbitro, no calor do ambiente e com o clima tenso, ele disse que era policial, e daria tiro na gente. Eu falei para ele ir no morro do Chapadão ou qualquer outro morro com bandido se quisesse trocar tiro e não ameaçar a mim e meus companheiros. Se teve alguém ameaçado em campo, esse alguém fui eu - completou.

Confusão na outra semifinal

No duelo do litoral entre Sampaio Corrêa e Maricá, a partida também acabou com briga generalizada. O Maricá jogava pelo empate e o jogo estava 1 a 1 até os 51 minutos, quando Emerson Carioca acertou bela cobrança de falta e deu a vitória a equipe de Saquarema.

Na comemoração, o eufórico Emerson Carioca abaixou o short e provocou os rivais. A provocação terminou em uma confusão e interrompeu a partida por cerca de 15 minutos. O duelo terminou com quatro expulsões e o acesso inédito do Sampaio Corrêa.

Últimas