Alison Brendom disputa prêmio entre as revelações do atletismo do mundo

Finalista do Mundial de Doha, brasileiro está entre os cinco melhores jovens atletas da temporada. Ele bateu sete vezes o recorde sul-americano sub-20 dos 400m com barreiras

Lance

Lance

Lance

O brasileiro Alison Brendom, o Piu, foi designado pela World Athetics, a federação internacional de atletismo, como um dos cinco candidatos ao prêmio de Revelação do Ano da modalidade. Os prêmios serão entregues na festa de Gala da entidade, no dia 23 deste mês, em Mônaco.

– Estou muito feliz porque iniciamos a temporada com metas na categoria sub-20 e acabei superando todas as expectativas. Foi demais. Agora, é me preparar para a Olimpíada Tóquio-2020 – declarou Alison, que defende o Pinheiros.

O atleta, treinado por Felipe de Siqueira, teve uma temporada excelente, em que bateu sete vezes o recorde sul-americano sub-20 dos 400 m com barreiras, terminou o ano na liderança no Ranking Mundial da categoria, com 48s28, ganhou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima e no Pan-Americano Sub-20 de San José, na Costa Rica, da Universíada de Nápoles e foi sétimo colocado no Mundial de Doha. Ganhou ainda ouro nos 400 m no Sul-Americano de Lima.

– Ficamos surpresos pela indicação, porém muito felizes pelo reconhecimento do trabalho a longo prazo que estamos realizando. É de extrema importância também para o Alison, que faz parte do processo de formação dele como atleta num todo – afirmou o treinador.

Os outros concorrentes ao título são o norueguês Jakob Ingebrigtsen (5° nos 5.000 m e 4° nos 1.500 em Doha), o ucraniano Mykhaylo Kokhan (martelo) e os fundistas etíopes Selemon Baregan (vice-campeão mundial de 5.000m em Doha) e Lamecha Girma (vice-campeão mundial dos 3.000m com obstáculos no Catar).

Alison começou no atletismo em 2014, na escola em que estudava em São Joaquim da Barra (SP). Os professores queriam indicar atletas para iniciarem a prática do atletismo no Instituto Edson Luciano Ribeiro, do atleta dono de duas medalhas olímpicas, uma de prata nos 4x100m de Sydney 2000 e outra de bronze na mesma prova em Atlanta 1996. Alto e bem coordenado, passou a fazer parte da equipe sob orientação de Ana Cláudia Fidélis.

Em pouco tempo, já conseguia resultados nos 400m e nos 400m com barreiras. Tanto assim que em 2017 integrou o revezamento 4x400 m misto, campeão no Mundial Sub-18 de Nairóbi, no Quênia. Em 2018, ganhou a medalha de bronze nos 400m com barreiras do Campeonato Mundial Sub-20 de Tampere, na Finlândia, com 49s78.