Lance Alcaraz vira nome da quadra central da academia de Ferrero

Alcaraz vira nome da quadra central da academia de Ferrero

Espanhol está na academia de Ferrero desde 2019

Lance
Lance

Lance

Lance

A direção da Ferrero Tennis Academy aproveitou a presença de Jannik Sinner para oficializar que a quadra central do complexo terá o nome de Carlos Alcaraz. A reportagem é do jornal MARCA.

Na foto histórica não faltaram Carlitos e Sinner, junto com seus respectivos times, e Antonio Martínez Cascales, que transformou uma casa de campo em uma fábrica de campeões.


Alcaraz mudou-se em 2019 para a Ferrero Tennis Academy em Villena. O tenista murciano, assim como seu treinador, passou a morar em uma casa pré-fabricada de 25 metros quadrados, que é um quarto duplo com banheiro incluído. Lá ele passou confinamento devido à pandemia.


Em fevereiro de 2022, antes de partir para Indian Wells, mudou-se para uma casa de 90 metros quadrados, a mesma que Ferrero possuía quando se tornou o número um do mundo em 2003 e por onde também passaram outras raquetes de destaque, como Nicolás Almagro e Guillermo G. López.

“É uma das maiores casas do interior e é muito confortável. Gosto muito dela. Achamos que seria uma boa ideia ele estar lá também”, diz Juan Carlos.


O centro orgulha-se de ser uma grande família, um dos seus aspectos diferenciadores. Lá residem Ferrero, Antonio Martínez Cascales, Iñaki, o técnico, e também alguns treinadores. "Moro aqui pelo conforto, pela tranquilidade. Já temos aquele estresse em todas as viagens para tantas cidades gigantescas que vamos, com tanto barulho e tanto estresse. Estar em Villena me dá aquela tranquilidade que me acostumei desde os 15 anos . É muito bom para os meus filhos respirar o esporte, a disciplina e a energia que aqui se vive. A relação que eles têm com os jogadores, eles andam pela academia, é um tipo muito bom da educação", diz Ferrero.

Todos os anos há uma apresentação pública de todos os alunos para conhecer as novas adições. Antonio Cascales reconhece que precisa de tempo para aprender todos os nomes: “Viver aqui deixa-nos muito à frente dos jogadores. Também não queremos ser uma academia excessivamente grande para não perder esse contato direto”.

No último desafiante, duas das quadras receberam os nomes de Pablo Andújar e Guillermo García-Lopez. Antes eram David Ferrer e Pablo Carreño que tinham esse reconhecimento.

O pátio central do centro já tem o nome de Alcaraz. É assim que Iñaki Etxegia explica: “Dar nomes aos jogadores às quadras é uma ótima maneira de eles se sentirem valorizados e de o tênis espanhol e mundial estar representado na academia. Carlitos vai fazer isso porque ganhou muito e Almagro também merece uma quadra conosco”.

Últimas