Lance Abel Ferreira valoriza empate do Palmeiras, mas diz: 'Tivemos mais medo do que coragem'

Abel Ferreira valoriza empate do Palmeiras, mas diz: 'Tivemos mais medo do que coragem'

Técnico do Verdão não ficou tão satisfeito com a atuação de sua equipe contra o Fluminense, no entanto entende que sai do Maracanã com ponto importante

Lance
  • Lance | por Lance


O Palmeiras conquistou um resultado importante ao empatar em 1 a 1 com o Fluminense, vice-líder do Brasileirão, que se mantém oito pontos atrás na tabela. No entanto, embora reconheça o bom resultado, Abel Ferreira não se mostrou tão satisfeito com a atuação de seu time, chegando a falar até em medo vencer a partida.

GALERIA
> Confira os públicos do Palmeiras no Allianz Parque em 2022

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Com um golaço de Rony de bicicleta nos começo do primeiro tempo, o Verdão acabou não conseguindo ampliar o placar e sofreu o gol de empate antes de ir para o intervalo. Depois, fez uma partida ruim, em que o empate ficou melhor do que a atuação apontava. A análise é referendada pelo técnico português que incluiu aspecto mental.

- Foi um bom resultado, com a primeira parte mais equilibrada, as melhores oportunidades foram nossas, sobretudo nas transições, embora o gol tenha saída em uma jogada normal nossa. Depois do gol, tivemos a situação que o Nino errou o passe na saída e entrou no Dudu, o Rony chutou e a bola bateu na cabeça do zagueiro, que salvou, pois ia na direção do gol - argumentou antes de completar:

- Tivemos o lance de dois contra um, que o zagueiro tirou com a mão, que deveria ter dado o amarelo e poderíamos ter decidido melhor. Na segunda parte nosso adversário foi melhor, e acho que o fator psicológico afetou nossa equipe, porque tivemos mais medo do que coragem - complementou Abel.

O comandante do Alviverde também elogiou a atuação do Fluminense e do atrevimento que o adversário teve para buscar vencer o jogo, algo que ele novamente falou que não viu no Palmeiras, mesmo nos espaços que foram dados pelo Flu.

- Nós não fomos capazes, nos espaços que nos deixam do lado contrário de onde fazem posse e nas vezes em que saímos da pressão, não sei se foi por ser o segundo colocado e por nossos jogadores saberem da vantagem, achei eu que foi mais um fator mental, o adversário tinha que arriscar tudo para ganhar, teve coragem, atrevimento, e eu acho que ficamos com medo de ganhar de ganhar. Da nossa parte, mais medo do que coragem, mas o resultado foi bom.

Abel Ferreira aproveitou para exaltar o golaço de bicicleta de Rony e usou a felicidade técnica de seu camisa 10 para explicar em quais aspectos o Verdão esteve abaixo durante a jornada deste sábado.

- Zero treinador, é qualidade dele (Rony) e hoje nós precisávamos que nossos jogadores estivessem em termos técnicos ao seu nível. Se olharmos para os quatro fatores de rendimento, técnico, tático, físico e mental, estivemos abaixo do normal em dois: no mental e na parte técnica, na execução. E o Rony esteve muito bem, teve uma outra chance logo em seguida em erro de passe do Nino, a bola ia para o gol, mas bateu na cabeça do zagueiro - concluiu Abel.

O Palmeiras volta a treinar neste domingo, na Academia de Futebol, já de olho no Athletico-PR, pela partida de ida da semifinal da Libertadores, que acontece em Curitiba. No Brasileirão, o Verdão tem 50 pontos e se manteve com boa vantagem na liderança da tabela.

Abel Ferreira - Fluminense x Palmeiras

Abel Ferreira - Fluminense x Palmeiras

Lance

Abel Ferreira não gostou da atuação (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Últimas