Esportes Kyle Walker volta a desrespeitar confinamento e diz ser vítima de assédio moral

Kyle Walker volta a desrespeitar confinamento e diz ser vítima de assédio moral

O lateral-direito Kyle Walker, do Manchester City, se envolveu em mais uma polêmica. Depois que foi flagrado pela segunda vez violando as regras de confinamento impostas para combater a pandemia do novo coronavírus na Inglaterra, o jogador se defendeu nesta sexta-feira, através de suas redes sociais, e acusou a imprensa local de assédio moral.

"Vivi nestes últimos tempos um dos períodos mais difíceis da minha vida e assumo toda a responsabilidade", escreveu o lateral-direito do Manchester City em sua conta no Twitter. "De qualquer maneira, tenho o sentimento neste momento de estar sendo assediado moralmente. Isso não afeta só a mim, mas também a saúde da minha família e de meus filhos pequenos", lamentou.

Kyle Walker, de 29 anos, explicou que deixou a sua casa em Manchester para visitar os pais e a irmã na cidade de Sheffield, no norte da Inglaterra.

"Em relação ao que aconteceu na quarta-feira, fui a Sheffield para dar a minha irmã um cartão e um presente de aniversário, mas também para conversar com uma das poucas pessoas em que confio. Ela me abraçou para me mostrar que posso contar com ela e que me ama. O que devia ter feito? Rejeitado ela?", escreveu.

"Em seguida fui visitar meus pais na sua casa para comer alguns pratos preparados. É um período difícil para eles", completou Kyle Walker, que acusou a imprensa britânica de segui-lo "por todos os lugares".

No início de abril, o lateral-direito teve que se desculpar publicamente por ter convidado duas prostitutas e um amigo para uma festa em sua residência em Manchester.

Últimas