Esportes Jardine ressalta tática do Brasil 'perto da perfeição' em vitória contra Alemanha

Jardine ressalta tática do Brasil 'perto da perfeição' em vitória contra Alemanha

A vitória por 4 a 2 do Brasil diante da Alemanha, nesta quinta-feira, parece ter tirado um peso das costas da seleção olímpica, que defende a medalha de ouro nos Jogos de Tóquio-2020. Justo contra o país que mais vem travando rivalidade, os jogadores brasileiros se impuseram, principalmente no primeiro tempo, que teve grandes elogios do técnico André Jardine.

"A gente sonhava em escrever essa página verde e amarela, da maneira que foi. Realmente, a gente fez um primeiro tempo muito perto da perfeição, em cima de tudo que tínhamos traçado como planejamento, como estratégia de jogo", disse o treinador, em entrevista coletiva após a partida, aparentemente bastante feliz com o desempenho dos seus atletas.

Jardine afirmou que uma das razões que ele acredita ter feito a diferença contra os alemães foi o fato de ter mostrado ao elenco como os adversários jogavam, qual era a tática e o que era preciso tomar mais cuidado. "Acho que valeu muito todo o estudo que a gente fez da maneira que a Alemanha jogou, especialmente a Euro Sub-21, com o mesmo treinador e com a mesma base de equipe".

Mas os elogios ao primeiro tempo viraram alerta na segunda etapa. O Brasil abriu vantagem de 3 a 0, com três gols de Richarlison, e viu, depois do intervalo, a Alemanha crescer e chegar perto de empatar. Para Jardine, essa não é uma falha, mas algo a prestar mais atenção das próximas vezes, sobretudo quando o time ainda está em construção e arrumando o entrosamento.

"No segundo tempo, algumas coisas saíram um pouco do controle. Mas são coisas que a gente imagina serem normais em uma equipe ainda em formação. Foi mais uma lição que aprendemos. Alertamos muito no intervalo que a Alemanha é uma seleção que precisa sempre ser respeitada", revelou o técnico da seleção olímpica.

Sobre a próxima partida contra Costa do Marfim, Jardine afirmou que não tem seleção que não mereça atenção. "É caráter de final a cada jogo, sempre um jogo decisivo. São duas seleções que se classificaram com muitos méritos nas Olímpiadas, apresentaram um nível muito alto no primeiro jogo. Acho que a Costa do Marfim tem uma capacidade de força física acima do normal", disse.

Neste domingo, às 5 horas (de Brasília), o Brasil enfrentará a seleção de Costa do Marfim, que têm os mesmos três pontos no Grupo D da competição.

Últimas