Esportes Hamilton vibra com 90ª pole na Fórmula 1 e diz que forma 'unidade' com seu carro

Hamilton vibra com 90ª pole na Fórmula 1 e diz que forma 'unidade' com seu carro

A conquista da 90ª pole na Fórmula 1 é, naturalmente, motivo de celebração para Lewis Hamilton. Mesmo assim, o hexacampeão mundial se mantém humilde apesar das inúmeras marcas expressivas que já alcançou e de outras que está perto da atingir. O britânico agradeceu à Mercedes e celebrou o desempenho na sessão classificatória do GP da Hungria, neste sábado.

"Adoro me aperfeiçoar, mas tenho sorte de trabalhar com pessoas muito boas que me fazem tentar. Sem elas, nada disso seria possível", disse. "O carro e eu somos uma unidade. Mas o carro não anda sobre trilhos. Embora a verdade seja que hoje tudo saiu bem e quase parecia que o carro estava realmente sobre trilhos", acrescentou Hamilton, que ostenta sete vitórias na Hungria e busca o oitavo triunfo para se igualar a Michael Schumacher no número de vitórias em uma mesma pista - o alemão venceu oito vezes na França.

"A Hungria sempre foi uma boa pista para mim", afirmou Hamilton, antes de elogiar seu companheiro de Mercedes, que cravou o segundo melhor tempo e lidera o Mundial de Pilotos. "Valtteri fez um ótimo trabalho hoje, aplicando muita pressão. (Bottas) não facilita nada para mim. Requer perfeição absoluta quando se trata de dar voltas e se classificar assim e é o que mais gosto de fazer", prosseguiu.

O britânico da Mercedes também busca a 86ª vitória na carreira, o que o deixaria a apenas cinco de igualar o recorde de Schumacher, piloto mais ganhador da categoria. Hamilton minimizou a possibilidade e se manteve cauteloso para a corrida.

"A largada é longa, há muito espaço até a primeira curva e ainda temos que fazer o nosso trabalho", alertou. "Além disso, ainda não sabemos como será o tempo amanhã aqui no circuito de Hungaroring. Vou me concentrar em fazer o melhor que puder", acrescentou.

Apesar da soberania da Mercedes no fim de semana, com Hamilton em primeiro e Bottas em segundo, o britânico minimizou a possibilidade de a equipe alemã ter vida fácil na corrida no circuito húngaro, a terceira etapa da temporada da Fórmula 1.

"Seja qual for o caso, é intenso", disse ele. "Estamos com o desempenho máximo de nossos recursos, estamos no limite. Sim, temos um carro veloz, mas estamos no limite irregular do carro, e estamos jogando tudo ao redor. Gostaríamos de acreditar, melhor do que qualquer um, que podemos vencer. E é isso que vamos continuar a fazer", avaliou.

Últimas