Esportes Gabriel Casagrande confirma favoritismo e leva bicampeonato na Stock Car

Gabriel Casagrande confirma favoritismo e leva bicampeonato na Stock Car

Paranaense usou vantagem construída ao longo do campeonato para garantir segundo título da categoria mais importante do país

Agência Estado
Casagrande comemora título em Interlagos

Casagrande comemora título em Interlagos

Reprodução Instagram/Gabriel Casagrande

O piloto Gabriel Casagrande conquistou, neste domingo (17), o bicampeonato da Stock Car, a principal categoria de automobilismo do país. O paranaense da A. Mattheis Vogel se sagrou conquistou ou título após chegar com uma ampla vantagem na liderança antes das duas corridas da 12ª etapa da temporada, em Interlagos, São Paulo.

Ao longo da semana, Casagrande manteve a tranquilidade diante do título iminente. No treino classificatório no sábado (16), chegou a dizer que "o carro não tinha chances de disputar a pole position", pela temperatura da pista e inúmeros outros fatores. Mesmo assim, terminou com o terceiro melhor tempo, atrás apenas de Ricardo Zonta e Rafael Suzuki, que também disputavam o título.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Natural de Francisco Beltrão, Casagrande teve seu salto na categoria nesta temporada. Das dez vitórias que acumula em sua carreira na Stock Car, 30% vieram na campanha que rendeu o bicampeonato ao piloto: em Interlagos, em julho, no Velopark e em Buenos Aires — na primeira etapa da categoria que não foi realizada no Brasil. O quarto lugar na corrida primeira e o 23º na segunda mantiveram a vantagem do piloto.

Sonho de infância

"Fã de corridas desde criança, hoje faço parte delas." O lema, escrito por Casagrande em sua biografia nas redes sociais, resume a carreira do piloto: no automobilismo profissional desde 2012 e na Stock Car dois anos depois, se consolidou como um dos nomes mais importantes do esporte a motor do Brasil. São mais de 200 corridas, 37 pódios e uma figura de referência na Stock Car.

Não à toa chegou com chances de título em todas as temporadas desde 2020. Não à toa, também conquistou a vantagem de 16 pontos para Daniel Serra antes da última etapa de Interlagos. Dos sete candidatos ao título, ninguém domina as pistas do principal autódromo do país como o paranaense. Nas 11 corridas mais recentes, somou 172 pontos, 26 a mais do que Ricardo Zonta, sexto colocado e que largou na pole na corrida 1 deste domingo.

"Não tínhamos um carro para brigar pela pole, ele é muito suscetível às mudanças climáticas. O aumento da temperatura fez com que nosso carro não ‘entendesse’ muito bem. Largar em terceiro é uma posição muito boa."

O que se tornou uma vantagem, principalmente pelas quedas de Daniel Serra e Felipe Fraga, segundo e terceiro colocados na classificação, no Q2 e Q1, respectivamente, do treino classificatório. Novamente, assim como em outros momentos da temporada, Casagrande conseguiu se manter, junto com a equipe, no top 3 do grid de largada.

Mesmo com a possibilidade de ser campeão já na primeira corrida, Casagrande manteve os "pés no chão". Respeitou todos os competidores — mesmo Zonta, que estava 47 pontos atrás. Serra e Fraga deveriam vir com uma proposta mais arriscada, já que largariam longe dos primeiros colocados e com a necessidade de conquistar muitos pontos para o título.

Gabriel Casagrande podia terminar até na 17ª colocação, se Daniel Serra vencesse, para se sagrar campeão, mas o vencedor da Stock Car em 2021 e líder da classificação sofreu no início da largada, após batida do pelotão da frente e caiu para 23º nos primeiros minutos da prova 1. Dudu Barrichello foi excluído da prova pelo incidente com Lucas Foresti e Gabriel Petecof, que precisaram abandonar a segunda corrida. "Fui conservador, tomei algumas pancadas. Terminamos lá atrás, mas fizemos o que era preciso", avalia o campeão.

Automobilismo no sangue! Veja famílias com a vida toda ligada à F-1

Últimas