Futebol Rodrygo descarta especulações sobre Europa e prega foco no Santos

Rodrygo descarta especulações sobre Europa e prega foco no Santos

Em entrevista ao R7, o jovem evitou comentar boatos sobre o Barcelona, falou do sonho de jogar com o ídolo Neymar e de vestir a camisa da seleção

santos, rodrygo, brasileiro, libertadores, copa do brasil, neymar

Rodrygo sonha em jogar com Neymar na Europa, mas prega foco no presente

Rodrygo sonha em jogar com Neymar na Europa, mas prega foco no presente

Cesar Sacheto/R7

Se há uma certeza em início de temporada no futebol brasileiro é que o Santos terá uma nova promessa. Foi assim com Robinho, Neymar e Gabigol, para citar apenas três joias mais recentes da base santista.

O nome da vez é de Rodrygo Góes, um adolescente de 17 anos que tem ganhado espaço no time titular e já se tornou figura conhecida dos torcedores.

Ele estreou no adulto no fim da temporada de 2017, já atuou em 20 jogos e fez cinco gols pela equipe, sendo um deles pela Copa Libertadores, contra o Nacional-URU, no Pacaembu.

Em entrevista exclusiva, o jogador se mostra calmo e até um pouco tímido diante dos repórteres. Procura se afastar das especulações que já envolvem o nome dele em relação ao futebol do exterior. Na última sexta-feira (27), surgiu um boato de que representantes do Barcelona teriam procurado o estafe do jogador para iniciar as negociações.

“Tento manter meu foco 100% no Brasileirão. Estamos bem na Libertadores e vai começar a Copa do Brasil. São três campeonatos de responsabilidade enorme. Claro que a gente pensa (na Europa), sonha com algumas coisas. Porém, temos que fazer as coisas primeiro no presente para depois pensar no futuro”, ponderou o jovem.

Início de Rodrygo

Rodrygo começou a jogar ainda garoto em uma escolinha de futebol de Presidente Altino, bairro do município de Osasco, na Grande São Paulo, onde morava com a família.

O pai, um lateral-direito que passou por vários clubes do interior e chegou a vestir camisas conhecidas do país, como as de Criciúma e Ceará, já sabia que tinha um talento em casa. Seu sonho era um dia enfrentar o filho em campos. Mas acabou optando por antecipar o fim da carreira – ele tem hoje apenas 33 anos – para cuidar dos negócios do filho.

“Lembro que, quando era pequenino, meu pai já fazia DVDs meus e mostrava para todo mundo no time (onde jogava). E diziam para ele: ‘esse moleque tem futuro’”, recordou.

O talento do menino que acompanhava o pai chamou a atenção do treinador da escolinha, que trabalhava no São Paulo. Com apenas oito anos, ainda sem completar a idade mínima para realizar os testes no clube tricolor – era preciso ter nove –, o garoto foi aprovado em uma peneira.

Rodrygo no Santos

Primeiro, Rodrygo ingressou no futsal são-paulino. Nessa época, por volta de 2011, durante um jogo contra o próprio Santos, o garoto despertou a atenção dos olheiros do time alvinegro.

Rodrygo, em encontro com o ídolo Neymar, em evento de patrocinador

Rodrygo, em encontro com o ídolo Neymar, em evento de patrocinador

Edu Garcia/R7

“Teve um jogo de futsal contra o Santos, fui bem e me convidaram para vir. O Santos tinha Neymar e Ganso. E eu já era santista. Tinha o sonho de jogar aqui e não pensei duas vezes”, relembrou o jogador.

Atrás de ídolo Neymar

A adoração por Neymar, que ele conheceu quando ainda criança, na Vila Belmiro, pode inclusive influenciar as decisões futuras na carreira de Rodrygo. O adolescente não esconde o desejo de atuar ao lado do grande ídolo.

“O Neymar foi um dos principais motivos para eu vir para o Santos. Você está na arquibancada, vendo o cara dentro de campo fazendo tudo aquilo que fazia. Era um sonho. Tenho que pensar em todos os motivos (para escolher o clube), o que for melhor para mim e a minha família. Mas pode pesar, sim”, admitiu.

Seleção brasileira é objetivo

No entanto, a mesma serenidade que Rodrygo mantém ao falar sobre os seus projetos, ele demonstra ao comentar o desejo de vestir a camisa da seleção brasileira, apesar de já ser lembrado pela ascensão meteórica no Santos.

“Claro que a gente tem o sonho. Mas tenho que ser realista. Na empolgação, as pessoas falam. Agora não é o momento. Quem sabe na próxima Copa, dependendo do meu rendimento dentro de campo. É uma coisa que trabalho para acontecer, mas é muito cedo”, avaliou.

A única certeza do novo xodó da Vila quando fala em Copa é sobre o nome do craque do Mundial da Rússia em sua opinião: “Neymar”, decretou.

A vida de Rodrygo Góes, a nova joia da base do Santos, em 22 fotos

    Access log