Futebol Pacaembu vai ser reaberto para 10 mil pessoas e não deve receber final da Copinha

Pacaembu vai ser reaberto para 10 mil pessoas e não deve receber final da Copinha

O tradicional estádio de São Paulo foi cedido à iniciativa privada e está em obras há mais de dois anos

Agência Estado - Esportes
Novo Pacaembu está com reforma atrasada

Novo Pacaembu está com reforma atrasada

Reprodução

O Pacaembu, tradicional estádio paulistano que está em obras há mais de dois anos, pode mais uma vez não receber a final da Copa São Paulo de Futebol Júnior. A previsão era que o local fosse palco da decisão da mais importante competição de base do país em 2024. No entanto, a 41 dias da partida, a Federação Paulista de Futebol (FPF) pode ter de encontrar uma alternativa.

A Allegra Pacaembu, concessionária detentora da outorga do Pacaembu por 35 anos, passou a operar o espaço em janeiro de 2020, mas as obras só começaram em junho de 2021. A empresa estipulou há muito tempo que o estádio seria reinaugurado em 25 de janeiro, aniversário de São Paulo e sempre o dia em que é disputada a final da Copinha.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

A Allegra afirmou ao Estadão que as obras de reforma, modernização e restauro do complexo "seguem em ritmo acelerado" e que o estádio "estará apto" a receber a final da Copinha. No entanto, segundo a concessionária, apenas uma arquibancada, a norte, estará pronta até o jogo. Com isso, a capacidade de público cairá para apenas 10 mil torcedores. Por esse motivo, está no radar da FPF considerar levar o duelo para outro estádio.

A empresa não admite que as obras estão atrasadas, mas, pelas imagens panorâmicas do estádio, restam muitos ajustes até que o local esteja em condições de receber o confronto. O gramado, por exemplo, ainda nem foi instalado. Será um campo sintético, como o do Allianz Parque. Também será necessário cumprir uma série de burocracias, como a liberação dos alvarás por parte do poder público.

Federação quer final no Pacaembu

A FPF deseja que o Pacaembu seja o palco da final da Copinha, conforme apurou a reportagem. Porém, se ao menos um time grande do estado e de muita torcida chegar à decisão, como aconteceu nos últimos anos, a partida terá de ser transferida para um novo local.

No mês passado, o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, foi enfático ao dizer que não há hipótese de o jogo final ser realizado fora do Pacaembu, mesmo com a capacidade reduzida e apesar de a Allegra dizer que a abertura do estádio será "planeada". "Não está pronto o complexo inteiro, todos os camarotes. Mas o Pacaembu estará pronto no dia 25 de janeiro", disse o dirigente.

A FPF endossou, em nota, as palavras de Carneiro Bastos e vaticinou: "A decisão da Copa São Paulo de Futebol Jr. ocorrerá no estádio do Pacaembu, que tem previsão de abertura na final do campeonato".

Sem o Pacaembu nos últimos três anos, o torneio foi decidido em dois estádios. No ano passado, o Allianz Parque recebeu o jogo decisivo. Neste ano, a decisão foi disputada no Canindé. O Palmeiras ganhou tanto a edição de 2022 como a de 2023. Em 2021, a competição não foi realizada, em decorrência da pandemia de Covid-19.

Regulamento

O regulamento da Copinha prevê que, caso o Pacaembu não esteja disponível, caberá ao Departamento de Competições da FPF definir "em observância aos critérios técnicos e de segurança, devidamente alinhados com as forças de Segurança Pública e, em especial, com o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP)", o local designado para a realização da partida. A decisão tem de ser, obrigatoriamente, disputada na capital paulista.

Caso um clube de São Paulo alcance a final do torneio e seja dono da melhor campanha, ele poderá mandar a partida final em seu estádio. Na hipótese de o clube adversário ser o detentor da melhor campanha, a FPF ficará responsável por indicar o local da partida.

Se dois clubes sediados na capital do estado forem os finalistas, a decisão será realizada no estádio do clube que tiver a melhor campanha. Caso o estádio do time de melhor campanha não atenda às condições necessárias, a responsabilidade de escolher o local será da FPF, que também terá essa incumbência se nenhum clube sediado na cidade de São Paulo chegar à final.

Novo Pacaembu

Com previsão de reinauguração para janeiro de 2024, o Pacaembu planeja receber ao menos 20 partidas de futebol e 80 apresentações musicais ao ano. Está nos planos dos administradores do estádio resgatar a vocação de ser um complexo de cultura e lazer e ampliar a exploração comercial do espaço.

A promessa da Allegra Pacaembu é que o complexo esportivo seja democrático e plural. "Será o estádio mais acessível do Brasil", afirmou recentemente ao Estadão Paulo Coutinho, engenheiro responsável pelas obras. "Foi feita toda uma engenharia ou arquitetura de projetos para permitir que haja acesso a todos os setores."

Mercado de transferências: confira quem chegou e quem saiu do seu time do coração

Últimas