Futebol Lewandowski supera Messi e é o melhor do mundo pela segunda vez

Lewandowski supera Messi e é o melhor do mundo pela segunda vez

Atacante polonês do Bayern de Munique já havia vencido a premiação em 2020. Alexia Putellas foi eleita entre as mulheres

  • Futebol | Do R7

Robert Lewandowski bateu o recorde de gols em uma edição da Bundesliga

Robert Lewandowski bateu o recorde de gols em uma edição da Bundesliga

REUTERS/Thilo Schmuelgen

Robert Lewandowski é, pela segunda vez, o melhor jogador do mundo. O polonês foi declarado vencedor do The Best, prêmio dado pela Fifa, na tarde desta segunda-feira (17), superando o argentino Lionel Messi e o egípcio Mohamed Salah.

Além de ganhar o título alemão, o atacante do Bayern de Munique marcou 41 gols durante a campanha na Bundesliga, batendo o recorde que pertencia a Gerd Müller. Foi a quarta vez consecutiva que ele foi o artilheiro do torneio.

Na última temporada, assim como na de 2019/2020, Lewandowski terminou com mais gols do que jogos. No total, foram 48 gols pelo Bayern de Munique em apenas 40 partidas. E, nesta época, o centroavante polonês segue voando, com a marca de 34 gols em 27 partidas até aqui.

Cabe salientar que, ao contrário da Bola de Ouro, premiação organizada pela revista France Football, o The Best considera o desempenho do atleta durante a temporada europeia – neste caso, de 8 de outubro de 2020 a 7 de agosto de 2021. A Fifa diz que continua seguindo as medidas sanitárias relativas à pandemia de Covid-19; por isso, a cerimônia foi realizada virtualmente mais uma vez.

Técnicos e capitães de todas as seleções filiadas à Fifa, além de jornalistas especializados que representam cada nação, votaram entre 22 de novembro e 10 de dezembro do ano passado para escolher o melhor jogador do mundo. O Brasil não fatura o prêmio desde que Kaká o ganhou, em 2007.

Neymar e o ítalo-brasileiro Jorginho chegaram à pré-lista dos dez mais votados, e, entre os goleiros, Alisson e Ederson fazem parte dos dez melhores.

A MELHOR ENTRE AS MULHERES

A espanhola Alexia Putellas, do Barcelona, levou a melhor sobre Jenni Hermoso e Sam Kerr, e foi eleita a melhor do mundo entre as mulheres. Ela já havia recebido também a Bola de Ouro.

OUTROS PRÊMIOS

Prêmio Puskás

Erik Lamela desbancou os finalistas Mehdi Taremi, do Porto, e Patrik Schick, da seleção da República Tcheca, e conquistou o prêmio de gol mais bonito do ano. Ele o marcou de letra, num clássico entre Tottenham e Arsenal, pela Premier League.

11 ideal entre os homens

O melhor time possível no futebol masculino foi formado assim:

Goleiro: Donnarumma. Defensores: Rúben Dias, Bonucci e Alaba. Meios-campistas: Kanté, Jorginho e De Bruyne. Atacantes: Messi, Haaland, Lewandowski e Cristiano Ronaldo. Chamou atenção a ausência de Salah, finalista na categoria principal da noite.

11 ideal entre as mulheres

A única premiação que teve um brasileiro citado foi a do time ideal feminino, com Marta aparecendo.

Goleira: Christiane Endler. Defensoras: Bronze, Renard, Bright e Eriksson. Meios-campistas: Banini, Lloyd e Bonanser. Atacantes: Miedema, Marta e Alex Morgan.

Melhor técnico e melhor técnica

O Chelsea fez a dobradinha. Thomas Tuchel superou Pep Guardiola e Roberto Mancini entre os homens, enquanto Emma Hayes venceu o espanhol Lluís Cortés, do Barcelona, e a holandesa Sarina Wiegman entre treinadores do futebol feminino. 

Melhor goleiro e melhor goleira

Édouard Mendy, campeão da Champions League com o Chelsea, foi eleito o melhor goleiro do mundo, superando Gianluigi Donnarumma e Manuel Neuer.

Entre as mulheres, a chilena Christiane Endler superou Stephanie Lynn Marie Labbé e Katrin Berger, e conquistou o prêmio.

Fair Play

O prêmio foi entregue à seleção dinamarquesa e à sua equipe médica, pelo socorro prestado a Christian Eriksen na estreia da Eurocopa.

Melhor torcida

O Fifa Fans Awards foi para torcedores da Dinamarca e da Finlândia, pelo apoio durante o mal súbito sofrido por Eriksen. O prêmio foi entregue pelo ex-goleiro brasileiro Julio Cesar.

Homenagem

Cristiano Ronaldo recebeu o prêmio especial masculino da Fifa, pelo feito de se tornar o maior artilheiro de todas as seleções. A atacante canadense Christine Sinclair foi homenageada pela carreira no futebol feminino. A jogadora do Portland Thorns, de 38 anos, também é a maior artilheira de seleções, entre homens e mulheres, com 188 gols marcados com a camisa do Canadá.

Lembra deles? Veja os medalhões que vão disputar os estaduais

Últimas