Libertadores

Futebol Há um ano, Santos vencia Boca e chegava na final da Libertadores

Há um ano, Santos vencia Boca e chegava na final da Libertadores

Peixe bateu o time argentino por 3 a 0 e garantiu vaga na final da maior competição de clubes da América, contra o rival Palmeiras

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Pará, Soteldo, Pituca e Kaio Jorge, nenhum deles segue no Santos

Pará, Soteldo, Pituca e Kaio Jorge, nenhum deles segue no Santos

Ivan Storti/Santos FC

O ano de 2021 começou muito diferente de como terminou para o torcedor do Santos. O time e o treinador de janeiro não eram os mesmos em dezembro, quando o Peixe lutou até as últimas rodadas do Brasileirão para não ser rebaixado. Longe disso.

Em 13 de janeiro de 2021, o Santos eliminava o Boca Juniors, da Argentina, por 3 a 0 na Vila Belmiro e se classificava para a final da Libertadores da América.

O treinador era Cuca, que terminaria o ano campeão nacional no Atlético-MG. Para encarar os argentinos, ele escalou o time principal: João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Lucas Braga; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge. Destes, apenas quatro continuam no time em 2022.

Naquele duelo contra o Boca, o Alvinegro faria o primeiro gol com Diego Pituca, que hoje joga no futebol japonês, depois de aproveitar um rebote do defensor. O segundo foi um golaço. Soteldo, antigo camisa 10 do clube, recebeu a bola na lateral, cortou para o meio e chutou no ângulo. Para finalizar, Lucas Braga marcou o terceiro depois de bela jogada de Marinho.

Na decisão contra o rival Palmeiras, o sonho do título foi interrompido no gol de Bruno Lopes aos 99 minutos de jogo. Para piorar, os meses seguintes à decisão seriam marcados por momentos de insatisfação para os santistas.

Jogadores importantes sendo vendidos para pagar dívidas e um quase rebaixamento no Paulistão e outro no Brasileirão não deram sossego ao torcedor. Ainda houve espaço para uma eliminação precoce na Copa do Brasil e um terceiro lugar na fase de grupos da Libertadores que depois resultaria em mais uma queda, desta vez na Sul-Americana.

O ano de 2022 começou diferente. Depois de conseguir se manter na elite nacional, o Peixe dá mostras de que tem ajustado as finanças e, com boas contratações, traz de volta esperança de dias melhores para sua torcida.

Mercado da bola: confira as negociações do seu clube para 2022

Últimas