Futebol Guardiola aumenta coro contra Superliga, mas cutuca Uefa

Guardiola aumenta coro contra Superliga, mas cutuca Uefa

Treinador do Manchester City, um dos fundadores do torneio "clandestino", criticou "vagas eternas" e não rebaixamento 

  • Futebol | Do R7, com informações da AFP

Guardiola falou a respeito da Superliga; Manchester City é um dos clubes fundadores

Guardiola falou a respeito da Superliga; Manchester City é um dos clubes fundadores

@ManCity

Pep Guardiola, técnico do Manchester City — um dos 12 clubes fundadores da Superliga Europeia — foi mais um do mundo da bola a se posicionar de forma contrária a criação do torneio. Em entrevista concedida nesta terça-feira (20), disponibilizada nas redes sociais do City, o treinador disse que "não é um esporte se o sucesso está garantido ou se não importa quando você perde". 

O espanhol se refere as vagas "eternas" e a não possibilidade de rebaixamento dos clubes fundadores na Superliga, um dos pontos centrais de críticas ao novo torneio. 

"Não é um esporte se o sucesso está garantido ou se não importa quando você perde. Já disse muitas vezes que quero uma Premier League de sucesso, não apenas com uma equipe no topo. Não sei se o que foi anunciado vai mudar e quatro ou cinco times poderão subir", ponderou Guardiola, que está em uma situação que considera "desconfortável". 

"Os presidentes podem falar com mais clareza sobre os rumos do futebol. É desconfortável para nós porque não temos todas as informações. Posso te dar minha opinião, mas não mais que isso", afirmou.

Cutucada na Uefa

Ainda na entrevista, Guardiola não poupou críticas a Uefa. Em uma das respostas, o treinador lembrou a imposição da confederação europeia para que os clubes liberassem seus atletas para disputa das Eliminatórias da Copa, e citou de exemplo o caso de Lewandowski, que perdeu o confronto com o PSG nas quartas da Champions League por conta de uma lesão sofrida pela seleção da Polônia. 

"Chegando a este ponto, a UEFA fracassou. Eles têm que esclarecer todas as informações. Lutamos para fazer cinco subs na temporada mais difícil de todas por causa da pandemia e as pessoas lutaram por si mesmas. Todo mundo está sofrendo nesta situação."

"No momento mais importante da temporada, quando lutamos pelos títulos, Lewandowski não pôde jogar contra o PSG porque se lesionou em jogos internacionais. A UEFA decidiu isso e o Lewandowski não pôde jogar. Cada um está por si mesmo", concluiu o treinador.

Neymar diz em quais times do Brasil gostaria de jogar

Últimas