Garantida como número 1, Barty derrota croata e passa às semifinais na China

Garantida por mais uma semana como a número 1 do mundo, a tenista australiana Ashleigh Barty conseguiu nesta quinta-feira uma suada vitória para assegurar um lugar nas semifinais do Torneio de Wuhan, disputado em quadras rápidas na China. Para chegar pelo terceiro ano consecutivo nesta fase da competição, derrotou a croata Petra Martic por 2 sets a 1 - com parciais de 7/6 (8/6), 3/6 e 6/3, após 2 horas e 23 minutos.

A manutenção da liderança no ranking da WTA foi confirmada com a derrota de sua principal concorrente, a checa Karolina Pliskova, no dia anterior, ainda pelas oitavas de final. Em sua batalha pelo título em Wuhan, Barty terá pela frente a bielo-rusa Aryna Sabalenka, atual campeã do torneio, que também precisou de três sets para eliminar a casaque Elena Rybakina - com parciais de 3/6, 1/6 e 6/1.

A rodada desta quinta-feira, pelas quartas de final, teve uma grande surpresa. A norte-americana Alison Riske derrotou com facilidade a ucraniana Elina Svitolina, número 3 do mundo, por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/3. Essa foi a terceira vitória da tenista dos Estados Unidos sobre adversárias do Top 10 do ranking da WTA.

Alison Riske enfrentará nas semifinais a checa Petra Kvitova, duas vezes campeã em Wuhan, que superou a ucraniana Dayana Yastremska, algoz de Pliskova, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/4.

BRASIL - Classificada no dia anterior às semifinais da chave de duplas do Torneio de Tashkent, no Usbequistão, a brasileira Luisa Stefani e a sua parceira norte-americana Hayley Carter conheceram nesta quinta-feira as suas próximas rivais. Serão a britânica Harriet Dart e a montenegrina Danka Kovinic, que contaram com a desistência da dupla cabeça de chave 1 formada pelas russas Anna Kalinskaya e Viktoria Kuzmova.

Na semana passada, Stefani e Carter conseguiram um expressivo resultado ao atingirem as semifinais do Torneio de Seul, na Coreia do Sul. Após entrar pela primeira vez na carreira profissional no Top 100 no ranking individual de duplas, a brasileira se aproxima de ultrapassar a barreira das 90 melhores.