Futebol Frederico Lapenda escala Marcelo Rubens Paiva para roteiro de filme sobre ex-jogador Casagrande

Frederico Lapenda escala Marcelo Rubens Paiva para roteiro de filme sobre ex-jogador Casagrande

Escritor terá a missão de adaptar biografia do ex-jogador para uma produção inspiradora

Frederico Lapenda escala Marcelo Rubens Paiva para roteiro de filme sobre ex-jogador Casagrande

Frederico Lapenda e Marcelo Rubens Paiva serão parceiros no filme da vida do ex-jogador Walter Casagrande

Frederico Lapenda e Marcelo Rubens Paiva serão parceiros no filme da vida do ex-jogador Walter Casagrande

Divulgação

O escritor Marcelo Rubens Paiva foi o nome escalado para escrever o roteiro do filme biográfico sobre a carreira de Walter Casagrande Junior, ex-jogador e comentarista da TV Globo. O anúncio foi feito nesta semana pelo produtor Frederico Lapenda, que adquiriu recentemente os direitos para adaptação do livro "Casagrande e Seus Demônios" para o cinema.

EsportesR7 no YouTube. Inscreva-se

Autor do prefácio do livro, que Casagrande escreveu em parceria com o jornalista Gilvan Ribeiro, Marcelo aceitou honrado a missão de levar para a tela grande uma história de sucesso e superação, que deve servir de exemplo para as futuras gerações.

Livro sobre a vida do ex-jogador Casagrande foi publicado em 2013

Livro sobre a vida do ex-jogador Casagrande foi publicado em 2013

Divulgação

Com uma carreira elogiada e produtiva também como jornalista, dramaturgo e apresentador de televisão, Marcelo tem em seu currículo grandes obras, como Não és Tu Brasil, Malu de Bicicleta e Feliz Ano Velho, este último é um relato verdadeiro sobre o acidente que deixou o escritor tetraplégico. Além disso, a obra foi traduzida para diversos idiomas e se destacou como um dos livros brasileiros mais vendidos na década de 80.

"Marcelo é um craque e a pessoa certa para escrever o roteiro por várias razões, dentre elas o fato que ele era amigo pessoal do Casão na época e participou de vários momentos que não estão no livro", afirma Lapenda.

Casagrande, que já havia recebido várias propostas para transformar seu livro em filme, contou que resolveu vender os direitos porque "sentiu segurança, confiança, verdade e envolvimento emocional em Lapenda para transmitir o recado que deseja passar a sociedade através do filme".

Um dos grandes desafios na produção do filme será no trabalho de pesquisa e ambientação dos figurinos, cenários e costumes das épocas em que se passa as cenas, de forma a retratar com a máxima fidelidade essa história.

“Passamos por um momento crítico e o Brasil necessita de um filme como esse para levar o alerta contra as drogas para as próximas gerações. A epidemia da dependência química aumenta a cada ano, destruindo famílias, carreiras e a nossa sociedade. Na minha adolescência, o livro Eu, Cristiane F., 13 anos, Drogada e Prostituída, teve um grande impacto na minha vida e contribuiu para me manter distante das drogas. Nosso objetivo é ter um produto atual na perspectiva da nossa cultura que tenha o mesmo impacto".