Futebol Fifa lamenta episódio da Arena e promete agir 'no devido tempo'

Fifa lamenta episódio da Arena e promete agir 'no devido tempo'

No domingo, partida entre Brasil e Argentina foi suspensa porque quatro jogadores do país vizinho desrespeitaram regra sanitária

  • Futebol | Do R7

Partida entre Brasil e Argentina foi interrompida aos 6min na Arena Corinthians

Partida entre Brasil e Argentina foi interrompida aos 6min na Arena Corinthians

Nelson Almeida/AFP - 05.09.2021

A Fifa (Federação Internacional de Futebol) se pronunciou, nesta segunda-feira (6), sobre a suspensão da partida entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar 2022, em decorrência de desrespeito de regras sanitárias contra a covid-19 por quatro jogadores do país vizinho. 

A entidade máxima do futebol mundial tem duas opções: retomar da partida a partir do minuto em que foi paralisada ou punir com W.O. qualquer uma das seleções.

O principal órgão do futebol mundial lamentou "as cenas anteriores à suspensão da partida [...], que impediram milhões de torcedores de desfrutar" do jogo. Também avisou que recebeu os primeiros relatórios sobre o duelo e avisou que "uma decisão será tomada no devido tempo" - veja abaixo o comunicado na íntegra.

Interrupção da partida

No domingo, a partida entre Brasil e Argentina na Neo Química Arena, estádio do Corinthians, localizado em São Paulo, foi paralisada aos 5min de jogo quando agentes da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) invadiram o campo.

Eles estavam atrás de quatro atletas argentinos que descumpriram a quarentena obrigatória para viajantes que chegam ao Brasil do Reino Unido, Irlando do Norte, África do Sul e Índia.

Os jogadores que desrespeitaram as regras sanitárias brasileiras são o goleiro Emiliano Martinez, Emiliano Buendía, Giovani Lo Celso e Cristian Romero.  

Depois de muita confusão em campo e nos vestiários, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) confirmou o cancelamento do jogo. Em nota, a entidade disse que a decisão foi do árbitro de campo e repassou a questão à Fifa.

Últimas