Corinthians

Futebol Felipe Conceição, do Braga: 'De que adianta ser favorito se não vencer?'

Felipe Conceição, do Braga: 'De que adianta ser favorito se não vencer?'

Thiago Nunes disse que Bragantino é favorito e técnico rebateu: 'Isso fica a critério de torcida, sabemos o que produzimos e isso ninguém vai apagar'

  • Futebol | Carla Canteras, do R7

Felipe Conceição chegou ao Bragantino em janeiro de 2020

Felipe Conceição chegou ao Bragantino em janeiro de 2020

Ari Ferreira/Divulgação Red Bull Bragantino

Os projetos do Red Bull Bragantino são ambiciosos e de longo prazo. O jogo da noite desta quinta-feira (30), contra o Corinthians, pelas quartas de final do Campeonato Paulista pode ser mais um passo desse caminho, que começou com a conquista da Série B em 2019.

Mas o comando do time mudou. Desde janeiro de 2020, saiu Antônio Carlos Zago, que está no Kashima Antlers, do Japão, e assumiu Felipe Conceição. Na troca, o estilo de jogo sofreu alteração. O Bragantino assumiu ainda mais uma postura ofensiva, agressiva e que se impõem na busca por vitória.

Essas características renderam ao Braga a melhor campanha da primeira fase do Estadual, com 23 pontos, e o posto de favorito diante do tricampeão Corinthians, mesmo que Conceição não admita.

“De que adianta ser favorito se não vencermos? Isso fica a critério de torcida e imprensa, sabemos o que produzimos até aqui, e isso ninguém vai apagar, mas temos que continuar produzindo e fazendo por merecer as vitórias”, escapou o técnico em entrevista ao R7.

Bragantino não perdeu jogadores na parada

Bragantino não perdeu jogadores na parada

Divulgação Red Bull Bragantino

Sobre o Corinthians, o treinador não vê desvantagem pelo Bragantino enfrentar um time grande. “Vai ser um grande jogo e eu considero um clássico, porque a gente vem jogando como time grande”, afirmou Felipe logo após a definição do adversário nas quartas do Paulistão.

Segredo do sucesso

O time de Bragança se reforçou para a temporada e o técnico fez alterações importantes ao colocar na reserva jogadores fundamentais na campanha do título da Série B, como Claudinho e Uillian Correia.

Para Felipe o diferencial foi que os jogadores compraram sua ideia ofensiva. “Não foi o fato de um ou outro jogador ter ido para o banco que fez com que o time vencesse. Isso é uma construção de todos, dos que se dizem titulares ou não do técnico. Todos acreditaram na proposta feita por mim que sou o técnico. Todos os técnicos, de um modo geral, têm ótimas ideias, a diferença é colocá-las em prática”, disse Conceição.

Jogadores comprar ideia ofensiva de Felipe Conceição

Jogadores comprar ideia ofensiva de Felipe Conceição

Divulgação Red Bull Bragantino

Parada do futebol

Desde a volta do Estadual, o Bragantino ganhou os dois jogos, mas tem sido acusado pelos outros clubes de ter voltada antes do demais. Na verdade, as atividades voltaram e o Governo de São Paulo pediu que parasse.

A condição dos atletas na volta dos treinos surpreendeu Conceição. “Quatro meses parado é algo sem precedentes no futebol. Mesmo em tempos de férias os jogadores, bem ou mal, estão batendo uma pelada aqui ou acolá e não ficam parados, o que proporciona um melhor retorno. O isolamento fez sim um estrago, mas o atleta consciente fez o dever de casa e de certa forma manteve um mínimo de condição. Veio melhor do que eu esperava.”

Além do preparo físico, o profissionalismo do clube fez com que o time seguisse bem mesmo após a parada. A gestão do clube é considerada moderna e organizada e traz as experiências que tem na Europa para o Brasil. Isso foi possível ver na parada devido à pandemia do novo coronavírus.

“A manutenção do elenco, a estabilidade financeira, a preparação bem feita, o trabalho de todos os departamentos do clube e a aplicação dos atletas são fatores que contribuem muito para o nosso momento”, explicou Felipe Conceição.

O ponto negativo

A partida desta noite acontece no Morumbi, já que a cidade de Bragança ainda não atingiu a fase amarela de retomada das atividades das cidades, condição imposto pelo Governo para ter futebol.

Time do Bragantino Campeão Paulista de 1990

Time do Bragantino Campeão Paulista de 1990

Reprodução Federação Paulista de Futebol

O Bragantino tentou mandar a decisão contra o Corinthians no estádio Nabi Abi Chedid e não conseguiu. O treinador minimizou estar fora de casa.

“Quem não quer jogar em casa? Claro que em casa tudo é melhor, sem dúvida. A cereja deste bolo é justamente a torcida que incentiva, coisa que hoje ninguém tem. Mas, jogando fora de Bragança, o Bragantino tem a virtude de não mudar seu estilo de jogo. Seja contra quem for.”

É com essa confiança que o Bragantino pretende conquistar o segundo título do Paulistão. O primeiro foi 1990 e também tinha no comando um técnico jovem, ofensivo e moderno: Vanderlei Luxemburgo, na época com 38 anos, três a mais do que Felipe Conceição.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Últimas