Emocionado, Dedé nega 'grupinho' no Cruzeiro e 'trabalho para derrubar Rogério'

Por várias vezes emocionado, o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, fez um pronunciamento, nesta sexta-feira, na Toca da Raposa, onde deu sua versão sobre o que aconteceu no vestiário do Castelão, quarta-feira à noite, após o empate sem gols com o Ceará. O jogador afirmou que "nunca houve grupinho de jogadores" e "ninguém trabalhou para derrubar" o técnico Rogério Ceni, com quem negou qualquer desentendimento. O treinador foi demitido na quinta-feira.

O atleta afirmou que pediu a palavra no vestiário, diante de todo o elenco, sem a intenção de criticar o trabalho do comandante. A ideia foi "ajudar Rogério" neste momento difícil pelo qual passa o time mineiro, 17.º colocado do Campeonato Brasileiro, encabeçando a zona de rebaixamento.

"Falei que o Thiago Neves, o Sassá e o Edilson, que são jogadores importantes para a gente, não fossem deixados de lado, pois são jogadores decisivos, tiveram uma história importante no clube", afirmou Dedé, que revelou também uma cobrança. "Fui no Thiago e falei: 'Thiago, precisamos também de um pouco mais de profissionalismo seu, que você se dedique mais para gente'".

O zagueiro revelou o grau de desentendimento entre Thiago e Rogério. "Eles não precisariam ser amigos, apenas que fossem profissionais em prol do Cruzeiro, respeitassem um ao outro, no pedido de jogador para treinador."

Segundo Dedé, neste momento, Ceni deu as costas para ele e deixou o vestiário. "Por mais que ele tenha virado as costas para mim, não tenho nada contra ele (Rogério). Sempre me dediquei ao máximo neste momento que estava machucado. Sempre fiz de tudo para voltar, não quero me fazer de vítima, mas foi de fato o que aconteceu. Fiz tudo pensando 100% no Cruzeiro, pois precisamos de todos neste momento, inclusive do torcedor."

O defensor afirmou que não quis cobrar o treinador. "Não pedi e nem cobrei para o Rogério colocar o Thiago, como está saindo na mídia, pelo contrário, cobrei ele (Thiago) profissionalismo para que ele rendesse para gente. Cobrei ele na frente do grupo da mesma forma que cobro nos bastidores e, neste momento, o Thiago balançava a cabeça positivamente, concordando com o que eu dizia."

O jogador também aproveitou para se defender das críticas sofridas por parte da imprensa. "Nunca tentaria atrapalhar a vida de nenhum treinador. Todos aqui sabem do meu caráter, minha forma de trabalhar, minha dedicação em campo, meu jeito de ser e eu vou continuar assim. Torcedor pode até achar que estou querendo fazer média, mas já estou aqui há sete anos e jamais coloquei pilha errada para torcida adversária, para que me julgassem da forma que estão julgando. Portanto, esse pronunciamento, eu pedi em forma de defesa, pois minha preocupação é sim com o torcedor do Cruzeiro, porque tem muito orgulho no que eu faço e o torcedor tem acreditado muito no que estão falando", destacou o defensor.