Futebol Em guerra com Messi, presidente do Barcelona pede renúncia do cargo

Em guerra com Messi, presidente do Barcelona pede renúncia do cargo

Josep Maria Bartomeu vinha sendo pressionado por grupos contrários, principalmente, desde que camisa 10 ameaçou deixar clube catalão

  • Futebol | Do R7

Presidente José Maria Bartomeu estava há seis anos à frente do Barcelona

Presidente José Maria Bartomeu estava há seis anos à frente do Barcelona

Juan Medina/Reuters

Josep Maria Bartomeu não é mais presidente do Barcelona. Após reunião de urgência da diretoria nesta terça-feira (27), o comandante do clube catalão e os demais conselheiros decidiram renunciar aos seu cargos. Bartomeu e seu grupo aliado entraram em guerra nos últimos meses com Lionel Messi. A informação foi confirmada pelas redes sociais do clube catalão.

Apesar da briga com Messi, que quase deixou o clube na última janela de transferência do futebol europeu, o motivo oficial para a renúncia foi que a votação de moção de censura seria realizada. Assim, Bartomeu e os demais dirigentes acharam melhor renunciar ao cargo do que serem retirados. A justificativa é de que não querem expor os sócios aos riscos de uma votação no meio de uma pandemia.



Há seis anos no clube, a proposta de renúncia de Bartomeu foi aceita sem discussão. Ele vinha sendo alvo de constantes críticas da torcida do Barcelona, principalmente após os últimos fracassos na Champions League e na La Liga. Além disso, também não tinha boa relação com Messi e, claro, como consequência, com os torcedores.

Em 2014, Bartomeu substituiu Sandro Rosell no cargo, que também havia renunciado após a divulgação de escândalos de corrupção no futebol. Em julho de 2015, o agora ex-mandatário do clube catalão venceu as eleições para um mandato de seis anos. Nesse período, foram quatro títulos do Campeonato Espanhol e um da Champions League.

Bayern sofre, mas vence outra na Champions; Inter empata a segunda

Últimas