Futebol Criança entra seminua em estádio após ser impedida de usar camisa do Corinthians para assistir a jogo

Criança entra seminua em estádio após ser impedida de usar camisa do Corinthians para assistir a jogo

Menino de 3 anos foi obrigado a ficar apenas de cueca para assistir ao amistoso feminino entre Brasil e Japão, na última quinta (30)

  • Futebol | Isabelle Gandolphi, da Agência Record

O menino estava acompanhado da mãe e da madrinha

O menino estava acompanhado da mãe e da madrinha

Reprodução/Redes Sociais

Uma criança, de 3 anos, foi obrigada a ficar seminua, apenas de cueca, após ser obrigada a tirar o uniforme do Corinthians para assistir ao amistoso feminino entre Brasil e Japão, na Neo Química Arena, em Itaquera, São Paulo, na última quinta-feira (30).

Os relatos foram publicados pela mãe da criança, Beatriz Mancini, e pela madrinha Carol Albuquerque, em suas redes sociais.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Beatriz afirmou ainda que quando chegaram ao estádio, seu filho Leonardo foi impedido de entrar vestindo o uniforme do Corinthians. A mulher tentou argumentar, dizendo que na Olimpíada ele já havia entrado no estádio com a camisa do time, e outras amigas também.

Quando questionou o que deveria ser feito e se o menino entraria sem roupa, o segurança consultou alguém pelo rádio e confirmou essa orientação. Informou que a torcida do Brasil ficaria no setor oeste, porém ele não poderia entrar de jeito nenhum com a camisa do Corinthians.

Beatriz disse que seu filho questionou se entraria pelado e ela disse que não, pois ainda estava de cueca, mas que depois veriam a situação. Leonardo ficou constrangido, e a mãe registrou o momento para ter provas posteriormente.

A criança passou pelas catracas vestindo apenas a roupa íntima e os tênis e, quando se acomodaram na arquibancada, Beatriz vestiu novamente o uniforme no filho e garantiu que se alguém a questionasse sobre a camiseta, ela não aceitaria. Ao longo do jogo, ele repetiu diversas vezes à mãe "não quero mais entrar no estádio".

A mãe descreve a situação como "péssima", pois não havia nenhum comunicado sobre a proibição, além de considerar o horário do jogo inadequado Mas afirmou que não deixará de ir ao estádio por causa do ocorrido.

Beatriz também disse que toda a situação é muito triste, porque é uma criança. "Você acha que ele não entendeu, mas ele ficou repetindo que não quer mais entrar no estádio. Por mais que a gente ache que ele não entendeu, deu uma certa traumatizada nele."

A mãe ainda contou que Leonardo não foi o único a precisar se despir. Ela mesma precisou ficar de sutiã para trocar de camiseta no meio das pessoas. Outros torcedores também foram impedidos de entrar, mas conseguiram contornar a situação colocando as camisas no avesso ou trocando de roupa na entrada, como ela mesma fez.

Últimas