Futebol CR7 ganha em títulos, mas é freguês de Messi em duelo na Champions

CR7 ganha em títulos, mas é freguês de Messi em duelo na Champions

Atacantes de Juventus e Barcelona são dois dos maiores jogadores da história do torneio europeu. Com eles ainda na disputa, competição volta em agosto

  • Futebol | Felippe Scozzafave, do R7

Montagem/EFE

Depois da longa parada por conta da pandemia de coronavírus, o futebol vem voltando ao normal em todo o mundo. Na Europa, as mudanças no calendário fizeram com que a principal competição do continente, a Uefa Champions League, se transformasse basicamente em uma Copa do Mundo.

Isso porque o torneio, que ainda estava em meio às oitavas de final quando foi paralisado, terá sua fase derradeira disputada em poucos dias, e com quase todos os jogos disputados no mesmo lugar: Lisboa, capital de Portugal.

Por falar em Portugal, é de lá que vem possivelmente o maior jogador da história da Liga dos Campeões. Pentacampeão do torneio, por Manchester United (um título) e Real Madrid (outras quatro taças), o craque busca agora a conquista com uma nova camisa, a da Juventus, que há muito tempo tenta dominar a Europa.

Para isso, porém, o clube precisa primeiro se garantir nas quartas, já que perdeu o jogo de ida das oitavas para o Lyon por 1 a 0. Sua grande esperança, é claro, é Cristiano Ronaldo, maior artilheiro da história do torneio, com 128 gols em 169 jogos disputados, uma média de 0,75% gols por jogo.

O aproveitamento só não é maior que o de um jogador. Ele mesmo, Lionel Messi, seis vezes o melhor jogador do mundo e quatro vezes vencedor da Champions. Com 114 gols em 141 jogos, o craque argentino tem 0,80% de média.

Arte/R7

Além disso, o astro do Barcelona também leva a melhor no confronto direto. No geral, em cinco jogos contra Cristiano Ronaldo na Champions, Messi tem duas vitórias, dois empates e uma derrota, com três gols marcados, sendo o mais marcante deles na final da edição 2008/2009, quando o Barça superou o Manchester United.

O português, logicamente, tem uma vitória, dois empates e duas derrotas. E o mais estranho, sem conseguir balançar as redes nenhuma vez.

E esse ano, será que eles se enfrentam? Ou alguma outra estrela, como Lewandowski, Aguero ou até mesmo Neymar é que levarão a melhor? Só nos resta esperar o dia 7 de agosto!

Oito cirurgias, quase amputação e infecção: a volta por cima de Cazorla

Últimas