Copa do Mundo Craques da Copa: na mala para o Catar, Neymar leva expectativas do hexa para a seleção brasileira

Craques da Copa: na mala para o Catar, Neymar leva expectativas do hexa para a seleção brasileira

Jogador do Paris Saint-Germain precisa superar críticas e mostrar seu bom futebol em busca da sexta estrela para o país

  • Copa do Mundo | Do R7

Arte R7

Principal jogador do futebol brasileiro há tempos, Neymar é mais uma vez a esperança do país inteiro pelo hexacampeonato na Copa do Mundo. O camisa 10 leva na bagagem não só a esperança, como também a pressão por mostrar o seu bom futebol no Catar 2022.

O peso de defender a única seleção com cinco estrelas recai nas costas do craque, que serve de exemplo para novas figuras como Vini Jr. e Lucas Paquetá, já que estes vão para um Mundial pela primeira vez. Porém, Neymar também não está sozinho, porque conta com outros nomes como Casemiro e Marquinhos, que dividem com ele a responsabilidade de vestir a amarelinha.

Vindo das categorias de base do Santos, Neymar tinha 17 anos quando estreou no time principal do alvinegro praiano, em 2009. Dois anos depois, o jogador ganhou o Prêmio Puskás pelo gol marcado em um jogo contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro.

Pelo Santos, Neymar ganhou Libertadores e tirou time de espera de quase 50 anos

Pelo Santos, Neymar ganhou Libertadores e tirou time de espera de quase 50 anos

Reprodução/Ricardo Saibun/Santos FC

Ainda no mesmo ano, o então Menino Ney foi o principal jogador do Santos na Libertadores. O time venceu a competição em cima do Peñarol, do Uruguai, com um gol do craque e levou o troféu para a Vila Belmiro, depois de quase 50 anos.

Neymar foi o terceiro maior artilheiro da competição, com seis gols, ao lado de Lucas Pratto, que jogava na Universidad Católica do Chile. Foi o primeiro título internacional do brasileiro.

Em 2013, Neymar foi transferido para o Barcelona. Na época foi considerada a venda mais cara do futebol brasileiro. O valor divulgado da negociação era de 57 milhões de euros.

Em sua apresentação oficial na equipe catalã, Neymar foi recepcionado por 56 mil torcedores no Camp Nou e quebrou o recorde de Zlatan Ibrahimović, que, em 2009, levou cerca de 50 mil ao estádio. Na sua segunda partida pelo Barcelona, enfrentou seu ex-clube, o Santos, pelo Troféu Joan Gamper, entrando no segundo tempo e ajudando na goleada de 8 a 0 contra o time do Brasil.

A Liga dos Campeões de 2015 foi a primeira conquista europeia de Neymar. Na conta, o craque já tinha duas taças do Campeonato Espanhol, uma Copa do Rey e uma Supercopa da Espanha. Mais tarde, no mesmo ano, o camisa 11 levantou a taça do Mundial de Clubes pela primeira vez.

Depois da temporada brilhante com uma tríplice coroa, Neymar participou da premiação da Fifa de Melhores do Ano de 2015. O brasileiro concorreu pela primeira vez ao prêmio da Bola de Ouro da Fifa, sendo o primeiro jogador brasileiro a estar na disputa desde que Kaká, em 2007, venceu o prêmio. Por coincidência, o prêmio foi entregue pelo próprio Kaká, entretanto Neymar ficou em terceiro lugar.

Certamente, um dos momentos mais memoráveis da passagem do craque pelo Barcelona foi a virada contra o Paris Saint-Germain pelas oitavas de final da Champions League. 

Apesar da derrota no jogo de ida por 4 a 0 para os franceses, o Barça conseguiu virar o placar agregado vencendo o segundo jogo por 6 a 1 no Camp Nou com dois gols do camisa 11, um deles de falta e o outro de pênalti. Além disso, foi dele a assistência para o gol da classificação marcado por Sergi Roberto no último lance do jogo.

No total, Neymar levantou oito taças pelo time catalão. 

Messi, Suárez e Neymar eram conhecidos como Trio MSN

Messi, Suárez e Neymar eram conhecidos como Trio MSN

Barcelona

Como tudo que é bom não dura para sempre, em agosto de 2017 o PSG anunciou a contratação de Neymar. Um agora "Adulto Ney". O clube francês pagou a multa rescisória de 222 milhões de euros – que equivalem a cerca de R$ 1 bilhão e 138 milhões, na cotação atual. Por esse valor, Neymar se tornava a contratação mais cara da história do futebol.

A lua de mel como grande nome do PSG durou pouco. Mais uma vez, Neymar teria de disputar o protagonismo do elenco com uma estrela – no caso, o francês Kylian Mbappé.

Apesar de grandes atuações, Ney nunca conseguiu um título internacional pelo time de Paris. Até o momento, são quatro conquistas de Campeonato Francês, três Copas da França, duas Copas da Liga Francesa e duas Supercopas da França.

Porém, o craque bateu na trave algum tempo atrás. Na temporada 2019-20, pela primeira vez na história, o PSG chegou a uma final de Liga dos Camepões. Na semifinal, o PSG venceu o RB Leipzig por 3 a 0, com uma assistência de Neymar para o segundo gol. Nessa mesma partida, o camisa 10 ainda entrou no Top 10 de jogadores com mais assistências na história da competição.

Com golaço de falta e assistência de Neymar, PSG bate o Montpellier de virada

Com golaço de falta e assistência de Neymar, PSG bate o Montpellier de virada

Reprodução/Instagram/@neymarjr

Na final, Neymar parou nas ótimas defesas de Manuel Neuer, e com atuação apagada o PSG foi derrotado por 1 a 0 pelo Bayern de Munique, ficando assim com o vice-campeonato e sem o principal objetivo da temporada.

Recentemente, a temporada na França começou conturbada para o PSG, com indícios de uma possível crise entre Neymar e Mbappé. Logo após a vitória do PSG sobre o Montpellier, no dia 13 de agosto, o clima no vestiário piorou por conta da polêmica dos pênaltis no confronto.

Copa do Mundo do Catar é ultimato para craque brasileiro do PSG

Copa do Mundo do Catar é ultimato para craque brasileiro do PSG

Reprodução/Instagram/@neymarjr

Vestindo a amarelinha, Neymar precisa lidar com o peso de uma seleção pentacampeã. O craque foi convocado pela primeira vez para o time principal em julho de 2010, pelo técnico Mano Menezes. Porém, antes disso, o jogador já tinha passado pelas categorias de base.

No sub-23, inclusive, o atacante ganhou uma medalha de prata, na Olimpíada de Londres, em 2012. Jogando em casa em 2016, e ainda pela seleção olímpica, Ney não bateu na trave e ajudou o Brasil a conquistar o ouro olímpico no futebol masculino pela primeira vez.

Voltando ao time principal, o camisa 10 foi protagonista na conquista da Copa das Confederações de 2013, o que garantiu a vaga do atacante do Barcelona na Copa do Mundo no Brasil, no ano seguinte.

As exepectativas estavam muito altas naquele ano. Afinal, o Mundial era no Brasil. Porém, a esperança durou pouco. Contra a Colômbia, pelas quartas de final, Neymar saiu lesionado após dura entrada do colombiano Juan Camilo Zúñiga. 

Chorando, o brasileiro foi retirado de campo em uma maca e levado diretamente para um hospital na região. Os resultados dos exames constataram uma fratura na terceira vértebra lombar, o que obrigou o craque a ficar seis semanas em tratamento. O Brasil acabou caindo diante da Alemanha, na semifinal, em um jogo, minimamente, traumático. 

A Copa de 2018, na Rússia, foi mais uma vez uma quebra de expectativa para o brasileiro. Voltando de lesão, Neymar teve atuação apagada durante a competição, e o Brasil não passou das quartas de final.

Após a eliminação, o atacante foi muito criticado, no mundo inteiro, por suas frequentes quedas em campo durante os jogos. O antigo apelido "Cai-Cai" voltou a ser usado para se referir ao camisa 10 do Brasil.

Hoje, Neymar é o segundo maior artilheiro da seleção brasileira, atrás apenas de Pelé. No total, o atacante tem três grandes conquistas vestindo a amarelinha – um Campeonato Sul-Americano nas categorias de base, uma Copa das Confederações e a medalha de ouro na Olimpíada Rio 2016.

Muito além de Marta: veja 7 jogadoras da seleção brasileira que se destacaram na Copa América

Últimas