Campeonato Paulista Santos não se livra do forte calor com treinamentos antecipados

Santos não se livra do forte calor com treinamentos antecipados

Time precisa reagir no Paulistão para evitar outro sufoco: no ano passado, quase caiu com a pior campanha de sua história 

Jogadores em campo nesta manhã quente de quinta-feira (3)

Jogadores em campo nesta manhã quente de quinta-feira (3)

Santos FC

O Santos voltou a treinar forte na manhã desta quinta-feira (3) – e com um velho conhecido presente: o intenso calor. Às 9h, 31°C. Às 10h e 11h, 32°C.

Conforme noticiado, o novo técnico, argentino Fabián Bustos, adotou início dos treinamentos às 8h desde segunda-feira. Os atletas chegam, fazem academia e, entre 9h e 9h30, vão a campo.

Antes, as atividades matinais, quando ocorriam (eram eventuais), tinham início às 9h30 – em alternância com os treinos regulares da tarde (15h).

Na prática, Bustos trocou a tarde pelo início da manhã justamente para driblar o forte calor do verão. Porém, os termômetros, até agora, não deram trégua mesmo no período antecipado de atividades.

O decorrer do dia em Santos pode ter pancadas de chuva à tarde, o que deve amenizar um pouco a sensação térmica de abafamento.

Segundo Bustos, não houve qualquer contrariedade dos atletas em chegar mais cedo, todos os dias, ao CT Rei Pelé.

Reagir ou reagir

O Santos tem uma sequência decisiva no Paulistão 2022 enquanto espera definição de data sobre seu segundo compromisso na Copa do Brasil, contra o Fluminense-PI, que bateu o Oeste-SP por 2 a 0, no último dia 24.

No sábado (5), às 18h30, o Peixe visita a Ferroviária, em Araraquara. No dia 13, às 18h30, será a vez de encarar o embalado Palmeiras, no Allianz Parque. Fecha a primeira fase do estadual diante do Água Santa, em 20/3, às 16h, na Vila Belmiro.

O Alvinegro Praiano é apenas o terceiro colocado no Grupo D, com 10 pontos, e precisa reagir rapidamente caso queira chegar à etapa de mata-mata.

Mais do que isso: no Paulistão 2021, a equipe escapou por pouco de cair para a A-2, onde está o outro time da cidade, a Portuguesa Santista.

O Peixe terminou na posição 13 da classificação final, com 13 pontos em 12 jogos, sua pior performance na competição.

Pior até mesmo que a de 1976 quando teve os mesmos 13 pontos, mas com aproveitamento um pouco melhor.

Últimas