Campeonato Paulista Pressionado, Santos tem semana decisiva para definir futuro no Campeonato Paulista

Pressionado, Santos tem semana decisiva para definir futuro no Campeonato Paulista

Com 10 pontos conquistados, Peixe ainda corre risco de rebaixamento, mas também está na luta por uma vaga nas fases finais

Agência Estado - Esportes
Santos segue com risco de cair, mas também pode conseguir vaga na próxima fase

Santos segue com risco de cair, mas também pode conseguir vaga na próxima fase

Ivan Storti/Santos FC

Depois da derrota no clássico com o Palmeiras, o Santos inicia nesta segunda-feira uma semana decisiva para suas pretensões no Paulistão. O time da Vila Belmiro ainda corre risco de rebaixamento, mas terá chance de escapar e até de se classificar nas quartas de final.

Sob pressão, o Santos depende apenas de si mesmo para avançar no estadual. Uma vitória sobre a Ferroviária, na quarta, reduz o risco de queda e deixa a equipe mais perto da classificação. A comissão técnica não quer repetir o drama do ano passado, quando correu risco de descenso até os últimos instantes da primeira fase.

Com 10 pontos, o time ocupa o terceiro lugar do Grupo C. Está atrás do Red Bull Bragantino (19 pontos), já classificado, e do Santo André (12). No entanto, tem um jogo a menos que os rivais da sua chave por conta do jogo adiado contra a Ferroviária. No domingo, na rodada final, receberá o Água Santa na Vila Belmiro.

Se vencer os dois jogos restantes, o Santos se classifica nas quartas e espanta a sombra do rebaixamento. É possível, porém, evitar a queda e não conseguir a vaga nas quartas. Para alguns torcedores, diante das fragilidades da equipe, é melhor escapar do descenso e não alcançar as quartas.

O objetivo, na visão desses torcedores, é ver o Santos ter mais tempo para treinar, de olho no Brasileirão, de forma a evitar sustos também na competição nacional. Isso porque o técnico argentino Fabian Bustos acabou de chegar ao clube e ainda não teve tempo para conhecer bem o elenco e resolver os problemas da equipe. Foram apenas duas partidas sob o seu comando até agora.

"Há esse dilema entre classificar e ter mais tempo para trabalhar", admite o treinador, que evita assumir um lado. No entanto, ele diz que o Santos tem chances remotas de brigar pelo título estadual. Ao fim do clássico com o Palmeiras, ele admitiu as disparidades entre os dois times.

"Cremos que com trabalho e muito esforço podemos mudar essa situação. A torcida quer ganhar sempre, quer que nos classifiquemos, que possamos chegar às quartas, às semifinais. Nós também queremos ser competitivos, lembramos da história dessa camisa. Queremos classificar. Me parece que a balança pesa sempre mais para conseguir o resultado positivo", declarou.

Jogador holandês é investigado por tráfico de drogas e tentativa de homicídio; entenda o caso

Últimas