Campeonato Paulista Com mando ‘artificial’ e provocações na arquibancada, Água Santa bate recorde de público

Com mando ‘artificial’ e provocações na arquibancada, Água Santa bate recorde de público

Arena Barueri recebeu 22.896 torcedores, o que gerou uma renda de R$ 2.180.550 aos cofres do Netuno

Resumindo a Notícia
  • Arena Barueri recebeu 22.896 torcedores, a maioria deles de palmeirenses.

  • A renda foi de R$ 2.180.550, que ficarão nos cofres do Netuno.

  • Até então, o maior público do time de Diadema tinha sido no jogo contra o Bragantino.

  • Na semifinal, foram pouco mais de 11 mil torcedores lotando a Vila Belmiro.

Mesmo em minoria, torcida do Água Santa fez muito barulho na Arena Barueri

Mesmo em minoria, torcida do Água Santa fez muito barulho na Arena Barueri

Edu Garcia/R7 - 02.04.2023

Mandante no jogo de ida da final do Campeonato Paulista, o Água Santa registrou o seu maior público da história, na vitória contra o Palmeiras, neste domingo (2), na Arena Barueri.

O estádio recebeu 22.896 torcedores, o que gerou uma renda de R$ 2.180.550 aos cofres do clube.

O público é praticamente o dobro do recorde anterior do Netuno, que havia sido batido na semifinal, contra o Red Bull Bragantino.

No jogo em questão, o Água Santa colocou mais de 11 mil pessoas na Vila Belmiro, e lotou praticamente todos os setores do estádio santista.

Apesar do novo recorde, o sentimento era de que o Palmeiras era o time mandante da partida.

O alviverde, pelo apelo maior de público, teve direito a ficar com as duas arquibancadas laterais e uma atrás do gol.

A torcida do clube de Diadema ficou na arquibancada azul, atrás de um dos gols, preenchendo quase que toda a totalidade dos assentos.

Apesar do clima tranquilo no entorno do estádio, com torcedores vestindo a camiseta de ambas as equipes e transitando no mesmo ambiente, o clima dentro do estádio foi um pouco mais hostil.

Na parte dos camarotes, que ficavam acima de uma das arquibancadas laterais, separadas apenas por um muro de cerca de 1,8 metro, palmeirenses e torcedores do Água Santa passaram o jogo se provocando.

Em dado momento, a Polícia Militar teve de intervir e pedir aos torcedores que parassem com as provocações.

Inclusive, no gol de Endrick, que deu o empate parcial ao Palmeiras, o zagueiro do Água Santa Rodrigo Sam foi muito hostilizado pelos rivais.

Um torcedor do Palmeiras chegou a escalar o muro para proferir ofensas, não respondidas pelo jogador, que estava acompanhado de familiares.

Com a vantagem construída na ida, o Água Santa joga por um empate para se consagrar campeão paulista pela primeira vez na história.

Assim como foi em Barueri, a torcida do Palmeiras será maioria no Allianz Parque, mas, agora, em proporção muito maior.

A pequena porção de torcedores do Netuno que comparecerem na arena palmeirense, no entanto, assim como neste domingo, poderá vivenciar mais um momento marcante da curta história do clube.

Veja as melhores fotos da primeira partida da decisão do Paulistão

Últimas