Palmeiras

Futebol Buscando o bi? Afinal, Palmeiras é ou não campeão mundial em 1951?

Buscando o bi? Afinal, Palmeiras é ou não campeão mundial em 1951?

Eterna discussão sobre a Copa Rio pode 'perder importância' caso o Alviverde conquiste o Mundial de Clubes nessa temporada

  • Futebol | Felippe Scozzafave, do R7

Jogadores do Palmeiras comemoram o título conquistado sobre a Juventus

Jogadores do Palmeiras comemoram o título conquistado sobre a Juventus

Divulgação Palmeiras - 22.7.1951

Na campanha que terminou com o título no Maracanã, no último sábado (30), a torcida do Palmeiras cantou a "Copa Libertadores é obsessão". Mas para grande parte dos fãs alviverdes, um título é ainda mais desejado: o Mundial de Clubes. Além de confirmar uma temporada praticamente perfeita da equipe, a conquista no Qatar encerraria com qualquer tipo de provocação dos rivais.

O Palmeiras encara o Tigres-MEX, na semifinal do Mundial, neste domingo. O adversário da final sai do confronto que acontece no dia seguinte, também às 15h (de Brasília), entre Bayern de Munique e Al Ahly-EGI. A grande decisão será na quinta.

Santos, São Paulo e Corinthians já foram efetivamente campeões mundiais. Enquanto isso, o Alviverde ganhou a Copa Rio, competição considerada por muitos como um Mundial, algo que no entanto não é reconhecido pela Fifa. O ponto central da discussão está no critério, ou falta de, para a convocação dos times.

O ano era 1951 e o Brasil amargava uma das maiores derrotas de sua história, com o vice na Copa do Mundo de 1950, quando a seleção foi derrotada pelo Uruguai na decisão. No ano seguinte, no mesmo Maracanã, foi criada a Taça Cidade do Rio de Janeiro, conhecida como Copa Rio.

Na época, o torneio ganhou a alcunha de "primeiro campeonato internacional de clubes". Para a CBD (hoje CBF), era um "torneio dos campeões". Isso, porém, sempre foi bastante questionado, já que nem todos ali eram vencedores das ligas de seus países.

Maracanã estava completamente lotado para acompanhar a final da Copa Rio

Maracanã estava completamente lotado para acompanhar a final da Copa Rio

Arquivo/Agência Estado

A Copa Rio reuniu, além de Palmeiras e Vasco, o Nice, campeão francês, o Sporting, campeão português, o Nacional, campeão uruguaio, o Estrela Vermelha, que não era campeão da Iugoslávia na época (hoje o time representa a Sérvia), o Áustria Vienna, que também não era campeão nacional e a Juventus, outra que não havia vencido a liga nacional e que só disputou o torneio pela desistência do Milan, campeão italiano, que preferiu disputar outro torneio.

Em um artigo divulgado pelo Estadão em 24 de junho de 1951 intitulado "Nem mundial, nem dos campeões", também se questionou o fato de Palmeiras e Vasco terem disputado o torneio como campeões estaduais, e não nacionais: "Por isso, quando se intenção da C.B.D. de realizar, em junho, um Torneio dos Campeões, de que participariam os clubes campeões de vários países e - é claro - o campeão brasileiro, que seria ou pelo menos deveria ser indicado por meio de um certame eliminatório entre os vários campeões estaduais, não aplaudimos o projeto, que, além de outros inconvenientes, teria, como vai ter, o de perturbar seriamente a marcha dos campeonatos do Rio e de S. Paulo."

Ao final da competição, com o Palmeiras campeão ao superar a Juventus em dois jogos, o jornal A Gazeta Esportiva não teve dúvidas e estampou na manchete: "Palmeiras, campeão do mundo". Já o Estadão voltou a publicar sobre o assunto, valorizando a conquista, mas destacando que a competição foi mais destacada do que deveria, demonstrando uma contradição na própria cobertura jornalística.

"Não se pode deixar de dar grande valor ao feito dos paulistas, mesmo porque obtiveram o título depois de considerado perdido para eles. Vale, ainda, acentuar que foi esse o primeiro título expressivo de campeão conquistado por um quadro brasileiro, num torneio que participaram quadros representativos de cinco países europeus, além dos dois quadros brasileiros e do Nacional do Uruguai. Feito de muito valor, repetimos, mas que, nem por isso, justifica os excessos ridículos que andam por aí, entre os quais, este de mandar a bola do jogo para um museu é, para usarmos de expressão popular, de se tirar o chapéu."

Jornais da época discordaram sobre a importância do título do Palmeiras

Jornais da época discordaram sobre a importância do título do Palmeiras

Reprodução

O que diz a Fifa
Até mesmo a entidade que controla o futebol não se decide se a Copa Rio é um Mundial ou não. O motivo pode ser o fato da Fifa, até 2000, não se ocupar de questões relativas a clubes.

Allianz Parque homenageia 'campeões mundiais'

Allianz Parque homenageia 'campeões mundiais'

Reprodução

Se o atual mandatário Gianni Infantino descarta qualquer equivalência com o torneio atual, com a a Fifa tratando a Copa Rio apenas como o "primeiro torneio internacional de clubes", a situação já foi mais favorável ao Alviverde em mandatos anteriores.

Joseph Blatter, antigo presidente da Fifa, confirmava o Palmeiras como campeão mundial. Foi em seu mandato que a entidade recebeu uma requisição da CBF pelo reconhecimento do título como a primeira competição mundial de clubes.

Outros clubes também querem 'Mundiais'
Mais um empecilho que faz com que a Fifa não reconheça o "Mundial do Palmeiras" é o fato de que outros times também teriam que receber a chancela. O Fluminense, por exemplo, venceu a Copa Rio em 1952. Já o Botafogo, considera que o Torneio de Caracas, conquistado por ele em 1967, 1968 e 1970, também é um Mundial.

Robozão! CR7 é um dos poucos que chega aos 36 anos ainda no auge

Últimas