Futebol Autor de gol na final, Zé Rafael se firma como pilar do Palmeiras

Autor de gol na final, Zé Rafael se firma como pilar do Palmeiras

O meio-campista, que se tornou volante com Abel, fez uma pintura de falta para abrir o placar no jogo que deu o título ao Verdão

  • Futebol | Pietro Otsuka, do R7

O futebol não cansa de produzir heróis improváveis, e nesta quarta-feira (28), mais um escreveu seu nome no folclore da bola: Zé Rafael. O camisa 8, antes contestado no Palmeiras, se tornou um dos pilares da equipe após a chegada de Abel Ferreira e foi coroado na vitória por 2 a 0 do Verdão contra o Athletico-PR, pela Recopa Sul-Americana, com um belo gol de falta que deu o título para o Alviverde. 

Aplaudido de pé quando saiu aos 24 minutos do segundo tempo, Zé Rafael ganhou a confiança do técnico português logo que o treinador desembarcou no Brasil. Ao todo, o meio-campista soma 81 jogos sob o comando de Abel, com cinco gols marcados, incluindo o gol do título, fora as seis vezes em que o camisa 8 serviu seus companheiros com assistências. 

A influência de Abel

O renascimento de Ze Rafael pode ser explicado especialmente pela mudança de posição do jogador, isto é, o dedo do treinador, que observou as características do atleta e soube posicioná-lo numa função que extraísse o melhor de seu futebol. Quando despontou no Bahia, Zé Rafael era um ponta de lança, um meia articulador, mas que chegava para finalizar e marcava muitos gols. 

Quando chegou ao Palmeiras, Felipão, Mano Menezes e Vanderlei Luxemburgo seguiram utilizando o camisa 8 da mesma forma, até que Abel entrou em cena. O português recuou Zé Rafael e passou a escalá-lo como um segundo volante. Combativo, intenso e com refino no trato com a bola, o jogador deslanchou e se tornou um atleta de confiança. 

De descartável a essencial

Até então, Zé Rafael era visto como um jogador "descartável" no Verdão. Foram inúmeras as vezes em que o torcedor do Palmeiras torceu o nariz para o jogador, mas hoje se rende ao camisa 8 como um dos mais essenciais na formação titular alviverde. 

"Ele é o nosso Robocop. Jogador que todo treinador gosta, vai entrar com tudo o que tem. Tivemos paciência para o Zé crescer. E ele foi capaz de suportar as críticas e acreditar no que o treinador lhe dizia", disse Abel em entrevista coletiva antes da decisão. 

De contestado a herói, fato é que Zé Rafael coloca de vez seu nome na história do Palmeiras. O jogador pode não ser o preferido da torcida, mas, trabalhando no silêncio, o atleta não cansa de entregar boas atuações, e hoje foi premiado com um belíssimo gol que ajudou e muito o Palmeiras a conquistar mais um título neste vitorioso ciclo do Alviverde nos últimos dois anos. 

Palmeiras x Athletico-PR: veja imagens da conquista do título alviverde na Recopa Sul-Americana

Últimas