Esportes Ferroviária derrota o América de Cali e é bicampeã da Copa Libertadores Feminina

Ferroviária derrota o América de Cali e é bicampeã da Copa Libertadores Feminina

Com um "frango" da goleira rival e um gol em cobrança de pênalti, logo após sofrer o empate, a Ferroviária derrotou o América de Cali, da Colômbia, por 2 a 1, neste domingo, no estádio José Almafitani, em Buenos Aires, na Argentina, e conquistou pela segunda vez em sua história o título da edição de 2020 da Copa Libertadores Feminina. O time de Araraquara (SP) venceu o Colo Colo, do Chile, na final de 2015 e perdeu a decisão para o Corinthians, em 2019.

Em sua quarta participação na competição, a equipe reformulada e comandada pela técnica Lindsay Camila sofreu na primeira fase. Após início ruim com goleada sofrida, se recuperou e conseguiu a suada classificação ao mata-mata pelo critério de gols feitos, após combinação de resultados. Nas quartas de final, superou o River Plate por 1 a 0 para, em seguida, eliminar o Universidad de Chile nos pênaltis.

Vários são os destaques da Ferroviária na conquista do título. A primeira a brilhar é Lindsay Camila. Com apenas dois meses no cargo, ela fez história por ser a primeira vez, em 12 edições, que uma mulher comanda uma equipe campeã da Libertadores Feminina. Se destacaram também a goleira Luciana, que defendeu três cobranças na decisão por pênaltis na semifinal, e a zagueira-artilheira Ana Alice, autora de três gols.

Todos os gols da decisão foram marcados no primeiro tempo. Logo no início, a zagueira Sochor contou com falha da goleira Tapia para abrir o placar. O time colombiano empatou em cobrança de pênalti com Catalina Usme, que igualou Cristiane como maior artilheira da história da Libertadores Feminina, com 29 gols. Pouco depois, Aline Milene, também cobrando pênalti, sacramentou o título da Ferroviária.

"Um título que a gente esperava. Nós trabalhamos para chegar às finais e ganhar títulos. Felizmente estamos aqui hoje (domingo) e conseguimos terminar esse trabalho com a conquista do título para Araraquara. Nós sempre estávamos unidas, sempre com o mesmo propósito para chegar onde chegamos", disse a capitã Aline Milene.

TERCEIRO LUGAR - Como prêmio de consolação, o Corinthians ficou com o terceiro lugar da competição ao golear a Universidad de Chile por 4 a 0, neste domingo, na preliminar da decisão. Sem dificuldades, a equipe comandada pelo técnico Arthur Elias construiu o placar com gols de Adriana, Vic Albuquerque (duas vezes) e Juliete.

Dessa forma, o Corinthians encerra a Libertadores Feminina com 39 gols marcados e apenas um sofrido em seis partidas. Este foi na semifinal contra o América de Cali, nos últimos minutos, que levou a disputa da vaga na decisão para os pênaltis.

Últimas