Esportes Falta de entrosamento preocupa, mas Casemiro exalta 'reforços' da seleção

Falta de entrosamento preocupa, mas Casemiro exalta 'reforços' da seleção

Escolhido por Tite para ser o capitão da seleção brasileira contra o Chile, o volante Casemiro falou como líder nesta quinta-feira, a poucas horas da partida a ser disputada em Santiago, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O experiente jogador admitiu preocupação com a falta de entrosamento da equipe, em razão das seguida baixas, mas tratou de exaltar os "reforços" chamados pelo treinador de última hora.

"São jogadores novos e o entrosamento vem com o tempo, independentemente da qualidade dos jogadores. Cada um tem suas características, sua qualidade. São jogadores que tiveram seus méritos para estarem aqui. E jogadores de alto nível, como eles, são sempre muito bem-vindos", disse Casemiro.

O capitão deve formar o meio-campo nesta quinta com Lucas Paquetá e Bruno Guimarães, com quem treinou e jogou pouco até agora. Nos últimos dias, trabalhou no setor com Edenilson e Gerson, dois estreantes na seleção principal. No caso destes dois, eles foram chamados somente na semana passada numa lista extra de nove jogadores anunciada por Tite por causa da decisão dos clubes ingleses de não liberarem seus atletas convocados para o Brasil.

Casemiro, apesar da preocupação com o entrosamento, aposta numa rápida adaptação dos estreantes e também dos jogadores que estão voltando à seleção, caso do zagueiro Miranda, do lateral Daniel Alves e do atacante Hulk. "A filosofia de trabalho do mister (Tite) é sempre a mesma. Acaba se adaptando para um jogo ou outro. Mas é inevitável, o entrosamento é com o tempo. Quanto antes os jogadores se adaptarem à formação do rival, melhor para nós. Jogadores, com nível de qualidade que sempre vem na seleção, sempre se adaptam muito rápido com o mister."

O jogo com o Chile é o primeiro de uma série de três numa incomum rodada tripla nas Eliminatórias. A sequência maior de jogos se deve ao atraso na competição causado pela pandemia. Para Casemiro, o aumento do número de partidas nesta Data Fifa poderá ser uma vantagem para a adaptação dos estreantes.

"Quanto mais jogos, melhor. O mister fica até feliz. Mas é importante também ressaltar um pouco que os jogadores novos vão ganhar oportunidades. Será a chance de se adaptar rápido com a comissão técnica e demonstrar o trabalho que eles vêm fazendo em seus clubes. Com tantos desfalques, teremos pouco entrosamento, mas a qualidade segue a mesma", reforçou.

Casemiro também comentou sobre o veto dos clubes ingleses em liberar os atletas para a seleção brasileira. Os times espanhóis ensaiaram fazer o mesmo, mas recuaram, o que preocupou o jogador do Real Madrid. "É um pouco difícil de falar. No meu caso, eu tentei deixar bem claro para o meu clube e para a seleção que é um sonho de todo mundo estar aqui. Sonho também jogadores que atua na Inglaterra e não puderam vir. Não posso falar do que aconteceu no caso deles. Mas sempre tentei deixar muito claro que eu queria estar aqui, sempre respeitando o meu clube e entendendo o lado deles também."

Ele lamentou a situação vivida por Claudinho e Malcom, pressionados pelo Zenit, de acordo com a CBF, para voltarem ao clube russo. A dupla não vai mais defender a seleção brasileira nesta rodada tripla das Eliminatórias. "Claro que é uma situação um pouco chata. Porque não diria só por mim, mas todos os jogadores do mundo sonham em estar com sua seleção. Temos que respeitar o caso deles e cada um responde pelo seu caso", declarou.

Líder isolada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo, a seleção brasileira vai defender a invencibilidade contra o Chile, às 22 horas desta quinta-feira, pelo horário de Brasília. Depois os adversários serão a Argentina, no domingo, em São Paulo, e o Peru, no dia 9, na Arena Pernambuco.

Últimas