Em último teste antes da Libertadores, São Paulo encara a Ponte Preta

O São Paulo faz diante da Ponte Preta, neste domingo, às 16h, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista, o último teste antes da estreia na Copa Libertadores. A equipe do técnico Fernando Diniz almeja mais uma atuação convincente antes de enfrentar o Binacional, do Peru, quinta-feira, no estádio Guillermo Briceño Rosamedina, na cidade de Juliaca, pelo Grupo D.

Bastante criticado pela ineficiência ofensiva, o São Paulo respondeu positivamente no último jogo, quando superou o Oeste por 4 a 0, em Barueri. Antes disso, o desempenho era muito ruim. Apesar de criar inúmeras oportunidades, o time havia anotado apenas seis gols em seis jogos no Paulistão.

O resultado expressivo deu mais tranquilidade para o elenco trabalhar, já que colocou o São Paulo na liderança no Grupo C. A equipe ocupava apenas o terceiro lugar antes de golear o Oeste. Agora soma 12 pontos contra dez do Mirassol e nove da Inter de Limeira.

A partida diante da Ponte Preta serve para ampliar o momento de confiança e também, claro, aproximar o São Paulo da classificação às quartas de final do Estadual. Tudo isso antes de entrar em campo na principal competição para o clube nesta temporada.

"Está todo mundo com muita vontade de começar a Libertadores. A gente ainda tem o jogo no Paulistão. Temos de nos concentrar ao máximo no que temos de fazer diante da Ponte Preta, mas lógico pensando que semana que vem é um grande compromisso", afirmou o goleiro Tiago Volpi.

"Neste momento, a gente está pensando na Ponte Preta, em fazer um grande jogo, manter a liderança do grupo e nos aproximar cada vez mais da liderança geral do campeonato. Então por mais que exista essa ansiedade pela Libertadores, a gente como profissional sabe dividir muito bem as competições", reforçou o jogador.

A equipe de Campinas não vive um bom momento no Paulistão. São quatro jogos sem vencer, sendo três derrotas e um empate. O ambiente, no entanto, ficou um pouco mais leve após o time superar o Vila Nova nos pênaltis e avançar na Copa do Brasil. A partida na quinta-feira, no entanto, vai cobrar um preço.

"Eu vou tentar alguma situação diferente frente ao São Paulo até pela saúde física do time", explicou o técnico João Brigatti, que já não terá Apodi, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. "O tempo de recuperação foi muito curto e vamos enfrentar uma equipe que não jogou na semana."

Brigatti não poderá contar com Apodi, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Em seu lugar vai ser improvisado Dawhan. O polivalente, porém, pode não ser o único a ficar de fora. O treinador estuda poupar algumas peças após a cansativa classificação nos pênaltis contra o Vila Nova. "Não tivemos tempo de recuperação. Não estranhem se fizermos algumas situações de troca, principalmente pela saúde do time. Vamos enfrentar um time fresquinho, que ficou a semana inteira treinando e teremos várias situações adversas", explicou o comandante.