Em consenso com clubes, Confederação cancela Campeonato Brasileiro de rúgbi XV

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) anunciou nesta quinta-feira o cancelamento do Campeonato Brasileiro masculino de rúgbi XV deste ano. A decisão contou com o apoio de todos os 12 clubes que participam da competição e representam os estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O campeonato, organizado anualmente pela confederação com investimentos da ordem de R$ 700 mil, captados integralmente por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, foi cancelado devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. A diretoria da CBRu comentou sobre as incertezas quanto às medidas de isolamento social e restrição de serviços.

"Por ser um esporte de contato, o rúgbi é mais vulnerável ao contágio. Também não sabemos concretamente como e quando será a liberação das atividades em cada Estado. Isso inviabiliza a logística de transporte interestadual, por exemplo. Assim, preferimos nos adaptar e nos concentrar nos protocolos de retorno ao jogo de forma gradativa, com poucos atletas e sem contato, seguindo protocolos de identificação, distanciamento e desinfecção em consonância com regras municipais e estaduais", afirma Jean-Luc Jadoul, CEO da CBRu.

"O objetivo é permitir uma volta prudente aos gramados para não expor a riscos desnecessários os cerca de 700 atletas e equipes técnicas envolvidos na competição. Nosso planejamento agora é organizar o tradicional torneio no próximo ano em condições normais, assim esperamos", complementa Jadoul.

Outra questão apontada pela confederação é a dificuldade dos clubes para retomar os treinamentos em curto. "O condicionamento físico é um desafio quando temos um prazo curto de tempo e treinamento. Além disso, sabemos que as equipes voltarão a treinar em momentos diferentes em função das regras de distanciamento de cada região. Não podemos expor os atletas com menor tempo de retorno ao treino a contusões pois os jogos são de alta intensidade", diz o dirigente.

Cada clube gasta em média R$ 50 mil durante a competição e muitos dependem de recursos de prefeituras, verbas que hoje estão sendo destinadas para o combate à covid-19.