Esportes Em Bragança Paulista, São Paulo espera pelo fim do jejum de gols de Luciano

Em Bragança Paulista, São Paulo espera pelo fim do jejum de gols de Luciano

Os atacantes do São Paulo estão sob os holofotes por motivos diferentes. Enquanto Rigoni e Calleri estão em alta, mas, machucados, são desfalques, Luciano joga para reencontrar o caminho das redes. Neste domingo, às 18h15, em Bragança Paulista, diante do Red Bull Bragantino, o atacante quer voltar a marcar para evitar uma marca negativa que nunca amargou no time tricolor.

Luciano entra em campo no duelo da 28ª rodada do Brasileirão pensando em encerrar o jejum e, com isso, evitar acumular o maior tempo sem fazer um gol com a camisa do São Paulo desde que chegou ao clube em agosto de 2020. Isso acontecerá se ele deixar o gramado do Nabi Abi Chedid sem balançar as redes.

O antes prolífico atacante marcou um gol pela última vez contra o Atlético-GO, em 19 de setembro, ou seja, há pouco mais de um mês. O São Paulo jogou seis vezes depois disso e o atleta saiu de campo sem marcar em todas as ocasiões. São 549 minutos de seca.

Para o jogador, é muito. Ele não estava acostumado com tamanha sequência em branco já que desde que foi contratado no meio da temporada passada encontrava o caminho das redes com frequência, incluindo seu jogo de estreia, diante do Bahia. Em 2020, foram 21 gols e sete assistências em 38 jogos - 18 deles foram anotados no Brasileirão, o que o fez terminar o torneio como artilheiro.

Nesta temporada, porém, o desempenho não tem sido o mesmo. Luciano sofreu com lesões musculares e passou a atuar mais recuado em algumas partidas sob o comando de Hernán Crespo. Por enquanto, fez somente sete gols e deu uma assistência em 32 confrontos. No último clássico com o Corinthians, ele chegou a balançar as redes, mas o gol foi anulado. Também acertou uma bola na trave.

"Espero voltar a fazer gol para comemorar com a torcida o quanto antes", disse o ansioso atacante, em entrevista recente.

Luciano joga para voltar a ser goleadores e também fazer com que o São Paulo dependa menos de Rigoni e Calleri. Os argentinos se recuperam de problemas musculares e não devem enfrentar o Bragantino. Foram eles os autores de todos os quatro gols do time marcados nas últimas seis rodadas. Calleri deve ser substituído por Pablo.

Nessas partidas, Calleri, o goleador que a torcida tanto quis de volta, balançou as redes três vezes e Rigoni, uma. Ele é o jogador com mais participação em gols da equipe nesta temporada e sua ausência tem sido muito sentida.

Depois de derrotar o Corinthians no clássico da última segunda-feira e dar a Rogério Ceni seu primeiro triunfo nessa nova experiência como técnico no Morumbi, o São Paulo tenta vencer o segundo jogo seguido no Brasileirão para se aproximar do grupo que briga por uma vaga na fase prévia da Libertadores. A equipe soma 34 pontos e não perdeu nas últimas oito partidas, com duas vitórias e seis empates.

BRAGANTINO - Faltando menos de um mês para a histórica final da Copa Sul-Americana, contra o Athletico-PR, o Red Bull Bragantino segue com as atenções voltadas para o Brasileirão. Invicto há seis partidas no campeonato, o time vem de dois empates fora de casa - 2 a 2 com o Ceará e 1 a 1 com o Internacional, este em jogo atrasado da 19ª rodada.

A expectativa é para a volta de Artur, desfalque nas últimas três partidas por ter sido diagnosticado com covid-19. Ele manteve a quarentena e praticamente não sentiu sintomas. Autor de 16 gols e 12 assistências na temporada, o atacante cumpriu o isolamento e voltou aos treinamentos neste sábado à tarde. Foi uma movimentação leve, porque todos ganharam folga na sexta-feira após o desembarque em Guarulhos no início da tarde, quando a delegação retornou de Porto Alegre (RS).

Além de Artur, Maurício Barbieri tem o retorno do volante Jadsom e do atacante Gabriel Neves, que cumpriram suspensão automática no empate com o Internacional, por 2 a 2, na última quinta-feira, em jogo atrasado da 19ª rodada.

Por outro lado, o treinador segue sem poder contar com alguns titulares. O lateral-direito Aderlan recebeu o terceiro amarelo, o lateral-esquerdo Lucas Cândido e o meia Praxedes continuam no departamento médico e o artilheiro Ytalo ainda cumpre a quarentena por causa da covid-19.

"Estamos usando o grupo jogo a jogo. Mantemos um acompanhamento do desgaste físico e quando percebemos algum risco, optamos por preservar o jogador. Por isso, as vezes, a gente faz algumas mudanças, mas sempre dentro do nosso estilo de jogo", disse Barbieri.

Últimas