Esportes Elenco da Ponte mantém 'lei do silêncio' em protesto por salários atrasados

Elenco da Ponte mantém 'lei do silêncio' em protesto por salários atrasados

Assim como aconteceu durante e depois do jogo contra o Vasco da Gama, no último domingo, o elenco da Ponte Preta continuou sem falar com a imprensa como forma de protesto por conta dos atrasos salariais.

Nesta terça-feira, os jogadores se reapresentaram no CT do Jardim Eulina depois da derrota no Rio de Janeiro, por 2 a 0. Todos jogadores em silêncio. O volante Marcos Júnior só falou para o site oficial do clube.

Na última sexta-feira, a diretoria pontepretana pagou o mês de julho referente ao CLT valor estabelecido na carteira de trabalho. Na segunda-feira chegou a três meses de direitos de imagem atrasados. Estes valores correspondem, normalmente, a 70% do valor combinado entre as partes.

Dentro do elenco, existem jogadores que recebem tudo na CLT - e por isso estão com os vencimentos em dia - e outros que têm o salário dividido entre CLT e direito de imagem. A comissão técnica também tem pendências.

A diretoria segue trabalhando para colocar tudo em dia o mais rápido possível. A boa notícia é que, nesta terça-feira, o Tottenham-ING acertou a contratação do lateral-direito Emerson Royal junto ao Barcelona.

O clube inglês desembolsou cerca de 30 milhões de euros, aproximadamente R$ 184 milhões. Pelo mecanismo de solidariedade - Emerson ficou no Moisés Lucarelli de 2015 a 2018 -, a Ponte espera receber de R$ 2,5 milhões a R$ 3 milhões como clube fundador.

Últimas