Deyverson não descarta jogar em rival do Palmeiras: 'Não posso fechar as portas'

Emprestado pelo Palmeiras ao Getafe, da Espanha, até o final da temporada europeia, o atacante Deyverson não descarta jogar em um rival do time alviverde no futuro. Ele enalteceu a equipe paulista, mas disse que não pode "fechar as portas" para outros clubes.

"A gente não sabe o dia de amanhã. Não podemos cuspir para o alto e imaginar que vai cair do lado. Você não sabe se pode cair na sua testa ou não. Eu sou um cara que não descarto clube nenhum. O Corinthians é um grande clube, o São Paulo também. Claro, eu tenho um grande respeito pelo Palmeiras, porque foi o clube que abriu as portas para mim. Mas eu não posso fechar portas em outros clubes também", afirmou o jogador em entrevista à Fox Sports.

Deyverson reiterou o carinho e identificação que criou com o Palmeiras. Pelo time alviverde, ele disputou três temporadas e foi campeão brasileiro em 2018. No entanto, para reforçar a sua posição, o atacante citou vários casos de atletas que defenderam rivais recentemente.

"Olha o caso do Gabriel, ele jogava no Palmeiras e foi para o Corinthians. Willian jogava no Corinthians e foi para o Palmeiras. O Tchê Tchê jogava no Palmeiras e agora está no São Paulo. Então por que eu vou ser o diferente? Eu não posso ser diferente, sou ser humano como eles também", explicou, para, na sequência, reafirmar o carinho pelo Palmeiras. "Se um dia eu tiver que ir para um clube desses, eu irei, mas respeitando em primeiro lugar o Palmeiras, que abriu as portas para mim no Brasil. É um clube que vou ter um carinho eterno, por tudo que me proporcionou. Foi onde eu ganhei meu primeiro título como profissional", acrescentou.

Deyverson foi emprestado pelo Palmeiras ao Getafe no começo do ano. O vínculo de empréstimo se encerraria em junho, mas como as competições foram paralisadas em razão da pandemia do novo coronavírus, ainda não se sabe quando se encerra o contrato.

Há uma cláusula no contrato de Deyverson que obriga o Getafe a comprar o atleta por 6 milhões de euros (R$ 37 milhões, na cotação atual) caso ele marque nove gols e dispute mais de 50% dos jogos da equipe espanhola na temporada. Mesmo assim, segundo a imprensa da Espanha, o clube europeu está disposto a adquirir o atacante.