Esportes De olho em cinturão, Vicente Luque revê rival para manter invencibilidade no UFC

De olho em cinturão, Vicente Luque revê rival para manter invencibilidade no UFC

Vicente Luque, de 30 anos, enfrenta neste sábado um velho conhecido em Las Vegas, nos Estados Unidos. Na embate principal da noite, Belal Muhammad volta a ser o adversário do brasileiro, após seis anos do primeiro encontro. Na ocasião, Vicente nocauteou o americano no primeiro round da disputa, em pouco mais de um minuto de luta.

Desde o último encontro, houve muita evolução entre os lutadores. Atualmente em quinto e sexto lugar no ranking dos meios-médios, o duelo oferecerá mais um panorama da categoria, uma das mais equilibradas do UFC. Muhammad, que segue na cola do brasileiro, não é derrotado desde 2019, quando perdeu para Geoff Neal.

"A gente se enfrentou no início da carreira dos dois, então hoje eu vejo um adversário amadurecido, experiente. Eu assisti muito às lutas dele e vejo que hoje ele sabe qual o estilo que tem de usar nas lutas, sabe estudar muito bem os adversários e isso é o que traz de desafiador para mim. Eu tenho certeza de que ele estudou o meu estilo", afirmou Vicente, em entrevista para o Estadão.

"Mas eu também venho evoluindo. Tive várias lutas desde a nossa primeira, então me sinto muito bem preparado e o principal é saber que não posso subestimá-lo. Mesmo que tenhamos tido aquela luta no passado, hoje é uma luta nova. Hoje, ele é um cara muito bem preparado e é para isso que eu treinei: para enfrentar um cara que vai me colocar em perigo ali e para eu poder superar esse perigo", continuou o brasileiro. Vicente aceitou a revanche para ficar mais próximo de uma disputa pelo cinturão da categoria.

CRESCIMENTO PROFISSIONAL E PESSOAL

Vicente está invicto desde 2020. Com quatro vitórias, o lutador afirma que esses dois últimos anos foram os mais importantes de sua carreira. "Eu me estabeleci como um Top 5 da categoria", afirma. "Eu vejo uma evolução grande nas minhas lutas. Não só por entrar no Top 5 do ranking, mas pelo estilo de combate, desenvolvimento da inteligência, o Q.I. de uma luta, eu acho que hoje sou um lutador muito mais experiente do que era no passado. Sei qual o jogo que devo usar na luta".

O brasileiro também destacou seu crescimento pessoal nesses últimos dois anos, aliado a essa sequência de vitórias. Em 2021, virou pai do Bento, seu primeiro filho. A responsabilidade de se tornar uma referência paterna, somada à sua carreira de atleta, fez com que ele amadurecesse.

"Eu acho que isso (ser pai) trouxe algo diferente para minha vida e me tornou ainda mais focado. Eu sempre fui muito centrado no meu sonho e agora acho que sou ainda mais, por ter o Bento, meu filho, e querer ser um exemplo para ele, um exemplo de vitória, de conquista e de superação. Então, acho que tudo isso, quando somado, me colocou na posição que estou hoje", disse.

PANORAMA SOBRE A CATEGORIA

"Um dos maiores da história", nas palavras de Dana White, o duelo entre Khamzat Chimaev e o brasileiro Durinho nos meios-médios impacta no ranking da categoria. Ainda no Top 5, Vicente acompanhou atento ao embate, já que poderá enfrentar o sueco em um futuro próximo na sequência da briga pelo cinturão.

"Eu assisti essa luta e acho que, nesse ano, foi a melhor luta. Nesse combate, o Durinho mostrou para todo mundo que o Chimaev não é aquele cara 'indestrutível', mas ao mesmo tempo ele (Chimaev) mostrou sua qualidade. Ganhou de um dos caras mais duros da categoria. Foi uma luta que definiu bastante coisa no meio-médio", afirmou. Chimaev, que venceu pela decisão dos juízes, continua invicto dentro do UFC, com 11 vitórias.

Há uma relação próxima de Vicente com Durinho, com quem divide agente, treinador e psicóloga. Mas os lutadores ainda não tiveram a chance de conversar sobre aquele confronto. "Ele virá à minha luta neste sábado. Certeza de que a gente vai sentar e conversar bastante sobre isso (derrota para o Chimaev). Mas uma luta (com o Chimaev) só vai acontecer no futuro, a gente está nesse caminho, os dois buscando evolução, buscando ser campeões. Continuando nesse caminho de vitórias, cedo ou tarde nós vamos acabar lutando", analisou Vicente, que fará sua estreia na temporada contra Muhammad.

O cinturão dos meio-médios está na cintura de Kamaru Usman, mas a sequência do brasileiro permite que ele sonhe com o desafio. Ao longo desses anos no UFC, Vicente afirma que conquistou a experiência e habilidade necessárias para não temer nenhum adversário, especialmente aqueles do Top 5.

"Hoje, me vejo no mesmo nível de todos. O que observo de diferente é o estilo. Se você pegar os cinco melhores (Kamaru Uzman, Colby Covington, Leon Edwards, Durinho e Chimaev), praticamente todos eles são lutadores que favorecem muito mais a luta no chão, o grappling, o wrestling. Eu vejo que consigo impor o meu jogo contra esses caras", afirmou.

PREPARAÇÃO PARA SÁBADO

Já em Las Vegas, nos detalhes finais da preparação, Vicente realizou toda a parte técnica dos seus treinamentos em Brasília, onde iniciou sua carreira. Além dos mais, essa será a primeira vez que o brasileiro terá pela frente um combate com cinco rounds, o que exigirá mais de sua condição física.

"Agora a gente está na fase final, é mais a parte do corte do peso que está muito bem encaminhada, mas toda a minha preparação foi feita em Brasília, no Cerrado MMA, que é a equipe onde comecei a carreira. Foi excelente, me preparei muito bem e foi uma preparação mais intensa fisicamente, bem mais puxada. O resultado foi excelente, eu me senti bem, rendi nos treinos e chego bem preparado", contou o lutador, que reafirmou em diversos momentos da entrevista que está preparado tanto física quanto mentalmente.

"O lado mental é algo importante. Há muitos anos, fazemos uma preparação psicológica. A Luciana Castelo Branco, é a nossa especialista em psicologia esportiva e esportes de combate. É algo que dou atenção há muitos anos. Acredito que seja um diferencial. Venho fazendo toda a parte estratégica, desde a luta até na questão da mente do adversário, de poder perceber em que momentos ele se sente mais vulnerável, em quais ele cresce. É um aspecto que gosto muito de estudar", relatou.

Apesar de saber como Muhammad age, a ideia de Vicente é, por conta de seu estilo de luta, buscar a finalização. "O meu estilo é agressivo", brincou. "É difícil falar que vou tentar segurar, vou entrar e vou lutar. Se eu vir uma finalização ou um nocaute, vou tentar conquistar isso, vou atrás desse momento, mas ao mesmo tempo me preparei para uma luta longa". Nas últimas quatro vitórias, venceu duas por nocaute e outras duas por submissão, sem precisar da decisão dos juízes.

"Ele (Muhammad) tem uma característica de usar a luta agarrada e treinei para conseguir me desvencilhar disso, mas é algo que leva um tempo de preparo. Eu imagino uma luta longa, mas acredito que consiga terminá-la antes dos cinco rounds. Vou para acabar com a luta, para não deixar dúvidas", disse Vicente.

Confira o card completo do UFC Fight Night - Luque VS Muhammad:

LUTA PRINCIPAL

Peso-meio-médio: Vicente Luque x Belal Muhammad

CARD PRINCIPAL

Peso-médio: Caio Borralho x Gadzhi Omargadzhiev

Peso-meio-médio: Miguel Baeza x André Fialho

Peso-galo: Mayra Sheetara x Wu Yanan

Peso-pena: Pat Sabatini x TJ Laramie

Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Mounir Lazzez

CARD PRELIMINAR

Peso-pesado: William Knight x Devin Clark

Peso-galo: Lina Lansberg x Pannie Kianzad

Peso-leve: Drakkar Klose x Brandon Jenkins

Peso-leve: Rafa Garcia x Jesse Ronson

Peso-pesado: Chris Barnett x Martin Buday

Peso-leve: Jordan Leavitt x Trey Ogden

Peso-palha: Istela Nunes x Sam Hughes

Peso-galo: Heili Alateng x Kevin Croom

Últimas