Esportes Corinthians vence Kindermann em final de 6 gols e conquista o Brasileiro Feminino

Corinthians vence Kindermann em final de 6 gols e conquista o Brasileiro Feminino

Agência Estado - Esportes

O Corinthians é o campeão brasileiro feminino de 2020. Neste domingo, em um jogo emocionante e movimentado, derrotou o Avaí/Kindermann por 4 a 2, na decisão disputada na Neo Química Arena, para assegurar a conquista da taça do campeonato. O primeiro jogo da final, em Florianópolis, havia terminado sem gols.

A vitória encerrou uma campanha praticamente perfeita do Corinthians. O time somou 42 de 45 pontos possíveis na primeira fase, em que teve nove pontos de vantagem para o segundo colocado. Depois, nas quartas de final, passou pelo Grêmio com duas vitórias. Já na semi, um empate e um triunfo sobre o Palmeiras. Foram, assim, 18 vitórias, 2 empates e 1 derrota em 21 jogos, além de 57 gols marcados pelo melhor ataque do torneio e apenas 10 sofridos pela defesa menos vazada do Brasileiro.

Dominante no futebol feminino nacional, o Corinthians disputou neste domingo a quarta decisão consecutiva do Brasileiro Feminino, sendo que já havia sido campeão em 2018. Agora, então, vai buscar o bicampeonato paulista. Está na semifinal, diante do Palmeiras e venceu o primeiro duelo por 1 a 0 - o segundo está marcado para quinta-feira, na Arena Barueri.

Na decisão deste domingo, os gols que faltaram na partida disputada há duas semanas na Ressacada, sobraram em Itaquera. O Kindermann chegou a dominar o início dos dois tempos, mas a força ofensiva do Corinthians fez a diferença. Soberano, abriu 2 a 0 com uma impressionante blitz no ataque, em jogadas de bola parada. Depois, sempre que era vazado, marcava um gol na sequência.

Gabi Zanotti foi o principal destaque da finalíssima ao marcar dois gols pelo Corinthians, tendo, inclusive, sido escolhida a melhor do jogo em votação popular. Mas Diany também fez a diferença pela equipe paulista, tendo participado de três dos quatro gols da sua equipe. A goleira Bárbara oscilou na decisão. Bombardeada pelo ataque corintiano, fez difíceis defesas, mas falhou em dois gols.

Para ser campeão, o Corinthians também precisou superar desfalques de última hora, pois Andresssinha, Juliete e Pamela testaram positivo para o coronavírus. Mas mostrou, mais uma vez, ter o melhor elenco do futebol nacional.

O JOGO - O Kindermann tentou surpreender o Corinthians no início da partida. Adiantou a marcação e chegou a travar o poderoso ataque adversário, também tentando valorizar a posse de bola. Teve, inclusive, a primeira chance clara de gol, aos seis minutos, em um disparo de esquerda, de fora da área, defendido por Lelê.

O Corinthians, porém, se recompôs do susto inicial, equilibrou o jogo e, aos poucos, assumiu o seu controle. Quase marcou aos 27, não fosse a intervenção corajosa de Bárbara que saiu nos pés da atacante. E o gol saiu no lance seguinte, com a mesma jogadora. Aos 28 minutos. Diany cobrou escanteio, Zanotti desviou e a bola sobrou nos pés de Gabi Nunes, da entrada da pequena área, finalizar às redes.

E a blitz corintiana não parou com o gol. Bárbara ainda evitou o gol de Crivelari aos 31, mas aos 32 saiu mais um, após nova cobrança de escanteio. E a goleira falhou ao sair para tentar cortar o levantamento de Diany. Não conseguiu, com a bola sobrando livre para Gabi Zanotti mandar para as redes. E Bárbara até se redimiu aos 38, em ótima defesa em disparo de Zanotti.

Após a intensidade exibida pelo Corinthians na parte final do primeiro tempo, o Kindermann repetiu no início da segunda etapa o que aconteceu no começo do jogo, sendo superior ao adversário. E diminuiu a sua desvantagem logo aos seis minutos. Catyellen cobrou falta e Zoio subiu mais alto na pequena área para cabecear às redes.

Só que o Corinthians logo retomou o controle da decisão, fazendo o seu terceiro gol aos 11. No lance, Tamires cruzou na direção da segunda trave e Crivelari cabeceou. Bárbara deu rebote, com Zanotti aparecendo livre para cabecear às redes: 3 a 1, graças ao oportunismo da camisa 10, mas também a uma falha coletiva do Kindermann.

A partir daí, com o Corinthians muito perto do título, o jogo ficou bem aberto. O Avaí teve uma boa chance de diminuir aos 25, quando Camila, quase da marca do pênalti, chutou por cima do gol. E o time paulista quase transformou o placar em goleada no lance seguinte, uma jogada confusa, com Portilho e Zanotti finalizando, até Bárbara realizar a defesa definitiva.

Quem marcou, então, foi o Kindermann. Aos 33 minutos, Bruna deu ótimo lançamento para Lelê, que avançou em velocidade entre as zagueiras para bater às redes, fazendo o seu 11.º gol no Brasileiro - ela foi a vice-artilheira do torneio, com um a menos do que a palmeirense Carla Nunes.

Mas o Corinthians, novamente, não deixou o time catarinense comemorar e definiu a decisão aos 36 minutos. Diany deu passe por cima da zaga para Vic Albuquerque, que invadiu a área e bateu para fazer 4 a 2.

E poderia ter saído mais. Gabi Portilho teve um gol anulado por estar em impedimento e Vic Abulquerque não aproveitou erro de Bárbara ao sair jogando para marcar. Nada que atrapalhasse a festa do Corinthians, soberano no futebol feminino nacional e campeão brasileiro em 2020.

Últimas