Candidato a presidente, Duílio Monteiro Alves tem longa relação com o Corinthians

Agora com o "naming rights" do estádio definido como Neo Química Arena, o Corinthians voltará as atenções em breve para a disputa da eleição presidencial, marcada para novembro deste ano. E o grupo político do atual mandatário, Andrés Sanchez, já escolheu quem será o representante no pleito. O plano é eleger o atual diretor de futebol Duílio Monteiro Alves, membro de uma família de longa relação com o clube.

Neto do ex-vice-presidente Orlando Monteiro Alves e filho do ex-diretor Adilson Monteiro Alves, Duílio integra o grupo político Renovação e Transparência. A chapa comanda o clube há anos e tem Andrés Sanchez como principal expoente. O atual presidente, aliás, já declarou publicamente que vai apoiar o aliado e cita como motivos o trabalho realizado no comando do Corinthians nos últimos anos.

"O Duílio Monteiro Alves vai ser candidato meu, sim. Vai ser candidato do grupo. E, com certeza, o corintiano tem que olhar para tudo que foi feito nesses últimos 10, 12 anos para ver se merece a continuidade ou não. Nós não tínhamos CT da base, nem CT profissional. Temos. Nós não tínhamos arena. Temos", disse Andrés em entrevista recente ao canal de TV a cabo BandSports.

O candidato da situação teve a primeira passagem como dirigente do clube entre 2012 e 2015, na gestão do presidente Mário Gobbi. Então como diretor-adjunto de futebol, ajudou a montar o elenco que ganharia a Copa Libertadores e o Mundial de Clubes da Fifa em 2012. Anos mais tarde, participou também no projeto de reformulação que contou com o retorno do técnico Tite em 2015, ano em que a equipe conseguiria novamente ser campeã brasileira.

Depois de se afastar do clube e morar alguns anos nos Estados Unidos, Duílio retornou ao comando do futebol corintiano em 2018, junto com a volta de Andrés ao cargo de presidente. O diretor passou a trabalhar junto com o ex-lateral-direito Alessandro e o diretor adjunto Jorge Kalil. Desde então, cuida da montagem do elenco, negociação de jogadores e a definição sobre treinadores.

A família do dirigente tem uma ligação histórica com o clube. Orlando, avô de Duílio, foi duas vezes candidato à presidência do clube, mas não ganhou. O pai do diretor, Adilson, teve papel importante no Corinthians nos anos 1980 como dirigente durante a Democracia Corintiana e chegou a concorrer uma eleição para o cargo na década de 1980, porém não foi escolhido.