Esportes Avanço da covid-19 na China suspende venda de ingressos para Olimpíada de Inverno

Avanço da covid-19 na China suspende venda de ingressos para Olimpíada de Inverno

A venda de ingressos para a Olimpíada de Inverno de Pequim, na China, está suspensa. O Comitê Organizador da competição emitiu um comunicado nesta segunda-feira informando a paralisação da comercialização de bilhetes para o público em geral devido ao aumento de casos de covid-19 no país.

De acordo com os organizadores, as últimas entradas disponíveis serão distribuídas pelas autoridades de Pequim a grupos específicos, que terão de cumprir rígidos protocolos sanitários. O comitê não indicou quem poderá receber os bilhetes, mas os ingressos serão dados apenas para "espectadores locais".

A China, onde o coronavírus surgiu em dezembro de 2019, mantém uma estratégia de tolerância zero com a covid-19. Agora, segue a mesma política para limitar o impacto potencial da pandemia nos Jogos de Inverno, que serão disputados de 4 a 20 de fevereiro, e também na Paralimpíada, logo em seguida.

Ainda em 2021, o país havia anunciado que turistas internacionais não poderiam assistir às disputas, por conta das regras chinesas de controle da pandemia. O Comitê Organizador alegou que a China vive uma situação "severa e complexa" de combate ao vírus.

Após o surgimento da variante Ômicron, a organização dos Jogos anunciou no início de janeiro a instituição de uma "bolha" onde milhares de trabalhadores da competição - voluntários, zeladores, cozinheiros e motoristas - ficarão isolados durante semanas no chamado "circuito fechado", sem qualquer contato físico com o exterior.

Os torcedores não farão parte do "circuito fechado" e os organizadores deverão garantir que eles não interajam com os atletas, nem com outras pessoas dentro da bolha. Ao deixar a bolha, quem vive na China também precisará entrar em quarentena antes de voltar para casa.

Últimas