Automobilismo Hamilton descarta aposentadoria e quer renovar com a Mercedes 'por vários anos'

Hamilton descarta aposentadoria e quer renovar com a Mercedes 'por vários anos'

O piloto heptacampeão disse que permanecerá na equipe alemã por conta da longa parceria: 'É a minha família'

Agência Estado - Esportes
Em entrevista coletiva no Grande Prêmio do México, Lewis Hamilton afirmou estar feliz com a evolução da equipe nas últimas corridas

Em entrevista coletiva no Grande Prêmio do México, Lewis Hamilton afirmou estar feliz com a evolução da equipe nas últimas corridas

REUTERS/Ricardo Arduengo

Todo fim de temporada da Fórmula 1 é a mesma coisa: Lewis Hamilton tem de responder se vai se aposentar das pistas. Acostumado com essa rotina, o inglês de 37 anos surpreendeu os jornalistas nesta quinta-feira (27) ao garantir que não apenas continuará correndo, mas que deseja um novo contrato com a Mercedes "por vários anos." Feliz com o crescimento da equipe nas últimas provas, o heptacampeão ganhou uma nova motivação para se isolar como o maior campeão de todos.

Atualmente, Hamilton divide o topo de campeões de todos os tempos com o alemão Michael Schumacher, ambos com sete conquistas. Na temporada passada, brigou com Max Verstappen até as últimas curvas por um novo troféu, mas acabou ultrapassado. Neste ano, não esteve entre os melhores e amarga a sexta colocação no Mundial de Pilotos. A promessa da Mercedes de um carro competitivo para 2023 e a demonstração dessa evolução já no GP dos Estados Unidos deixaram o britânico animado para a renovação do contrato, que termina no fim do ano.

"Acho que será um contrato de vários anos. Há toda essa coisa de eu me aposentar que está sempre por aí e, honestamente, não gosto da ideia e não sinto que estou lá", afirmou o piloto, já se preparando para os treinos livres do GP do México. "Temos muito mais trabalho a fazer como equipe, como indivíduo dentro da equipe, temos muito mais a fazer como esporte, e quero fazer parte dessa mudança."

Hamilton fez questão de falar da mudança prometida pela Mercedes, e o prognóstico já vai para a reta final da atual temporada, que ainda terá corridas no México, no Brasil e nos Emirados Árabes. "Temos mais vitórias para somar, e a Mercedes vai começar a persegui-las já aqui, na Cidade do México", garantiu o britânico. Ele chegou a liderar nos EUA, mas, novamente, foi superado pelo campeão Verstappen.

Além de falar sobre o futuro, Hamilton garantiu que continuará lutando pela diversidade no esporte e buscando a entrada de mais mulheres na Fórmula 1, não apenas nos boxes e no comando de equipes, mas também no cockpit.

"Sou um aliado do esporte e do trabalho dentro e fora da pista. Estamos falando de diversidade, estamos trazendo cada vez mais mulheres para o esporte, não se trata apenas de pilotos", continuou ele. "Trata-se de descobrir quais são essas barreiras para que as mulheres entrem em muitos dos empregos que você vê nas áreas aqui atrás — engenheiras, mecânicas e assim por diante — e dar a elas uma plataforma. Portanto, há mais trabalho a fazer."

Com salário de R$ 208 mi por ano, Hamilton é disparado quem mais ganha dinheiro na Fórmula 1

Últimas