Automobilismo Ex-empresário de Schumacher fala sobre possibilidade de visitá-lo e confessa arrependimento

Ex-empresário de Schumacher fala sobre possibilidade de visitá-lo e confessa arrependimento

O estado de saúde do piloto continua uma incógnita, mesmo após dez anos de seu acidente de esqui

Agência Estado - Esportes
Piloto vive em coma induzido há quase dez anos

Piloto vive em coma induzido há quase dez anos

Miguel Gutiérrez/EFE - 25.11.2012

O estado de saúde de Michael Schumacher é um segredo guardado pela família do ex-piloto. Até mesmo o empresário Willi Webber, que trabalhou com o alemão por 30 anos antes de romper com ele, desconhece a situação do antigo assessorado. Recentemente, Webber comentou a possibilidade de rever o heptacampeão de Fórmula 1, mas com um lamento de quem o viu desde criança.

O ex-piloto alemão sofreu um grave acidente enquanto esquiava na estação de Meribel, nos Alpes franceses, em 29 de dezembro de 2013, e nunca mais voltou a aparecer em público.

"Infelizmente, não tenho mais esperança de vê-lo novamente. Não há nenhuma notícia positiva dez anos depois do acidente. Me arrependo muito e me culpo; eu deveria ter visitado Michael no hospital [quando ele se acidentou]", lamentou Webber em entrevista exclusiva ao jornal alemão Kölner Express. O ex-empresário do piloto também falou dos laços rompidos com a família de Schumacher após sua mulher, Corinna, não permitir contato de ninguém com o marido. "Sofri muitíssimo depois do acidente. Isso me atingiu fortemente e, claro, também com o fato de Corinna não permitir mais nenhum contato com ele", disse.

Webber falou que Schumacher queria gerir a carreira do filho, Mick, atualmente piloto reserva da Mercedes, aos 24 anos. "Michael estava ansioso para colocar o garoto na Fórmula 1 e gerenciar sua carreira da mesma forma que eu costumava gerenciá-lo na pista. Se ele estivesse ao lado de Mick, o chefe da Haas [Gunther Steiner] não teria desempenhado um papel tão ruim com ele, e Mick teria tido uma segunda chance em algum outro lugar na categoria", opinou o ex-empresário. Mick chegou a assinar um longo contrato com a equipe americana, mas foi demitido em 2022, após duas temporadas ruins.

Webber está com 81 anos e trabalhou com Schumacher desde o fim da década de 1980, quando a carreira do heptacampeão ainda estava no início, na Alemanha. Eles mantiveram a parceria até 2012. O empresário também já assessorou Ralf Schumacher, irmão de Michael, Timo Scheider e Nico Hülkenberg.

RELEMBRE O ACIDENTE DE SCHUMACHER

Michael Schumacher estava de férias com a família quando sofreu traumatismo craniano, dez anos atrás. O acidente aconteceu durante um passeio de esqui. Ele entrou em uma área perigosa não demarcada entre duas pistas. Schumacher usava capacete, mas bateu a cabeça com força e ficou em coma por meses.

Periodicamente, amigos da família do ex-piloto que conviveram com o heptacampeão no auge de sua carreira na Fórmula 1 comentam seu estado de saúde, mas sem detalhes, para proteger o interesse da mulher do piloto, Corinna Betsch, que prefere não divulgar a situação. Um dos poucos que mantêm contato com os familiares é Jean Todt, ex-presidente da FIA e ex-chefe da Ferrari, equipe na qual Schumacher trabalhou, ao lado de Rubens Barrichello.

Na terça-feira (19), Stefano Domenicali, chefão da Fórmula 1, falou em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport sobre a situação de Michael Schumacher: "Viver assim por dez anos é algo que você nunca desejaria nem para o seu pior inimigo".

Da morte de trabalhador a quase tragédia na pista: sete pontos do GP de Las Vegas de F1 para esquecer

Últimas