Automobilismo Após apendicite, Alexander Albon volta ao cockpit da Williams em Cingapura

Após apendicite, Alexander Albon volta ao cockpit da Williams em Cingapura

Albon publicou rotina intensa de treinos para recuperação; piloto tailandês foi substituído por Nyck De Vries em Monza

Alex Albon ficou de fora do GP da Itália, em Monza, por conta de uma crise de apendicite

Alex Albon ficou de fora do GP da Itália, em Monza, por conta de uma crise de apendicite

Reprodução/Instagram/ @alex_albon

O piloto Alexander Albon vai retornar ao cockpit da Williams no GP de Cingapura deste fim de semana depois de se recuperar de uma crise de apendicite. "Alex Albon estará de volta", comunicou, nesta quarta-feira, a Fórmula 1 em suas redes sociais.

Albon perdeu o GP da Itália há três semanas depois de ser hospitalizado com apendicite. Ele havia participado do treino da sexta-feira em Monza, mas passou mal e foi submetido a uma cirurgia no dia seguinte.

A equipe Williams informou depois que Albon sofreu insuficiência respiratória após a cirurgia, sendo transferido para uma unidade de terapia intensiva. O holandês Nyck De Vries foi seu substituto e terminou a corrida em nono lugar.

"Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos por todas as mensagens e apoio no fim de semana do Grande Prêmio da Itália", disse Albon no site da Fórmula 1. "Minha preparação para Cingapura foi um pouco diferente do normal, mas estou me sentindo bem e fiz todo o possível para me preparar para um das corridas mais duras do calendário."

Albon, de 26 anos, está ansioso para ir ao circuito de rua de Marina Bay, mas revela um momento especial na corrida noturna em pista sinuosa com muito calor e umidade. "Eu não estou subestimando o tamanho do desafio que isso vai ser, mas eu estou ansioso para pegar a pista na sexta-feira e voltar a pilotar", disse. "É um grande circuito de rua e a corrida mais próxima de casa", afirmou o tailandês.

Multicampeão no kart e estrela na Europa; conheça Felipe Drugovich, vencedor da Fórmula 2

Últimas