Esportes Após vice, Palmeiras pensa em ajustes, mas manterá austeridade financeira

Após vice, Palmeiras pensa em ajustes, mas manterá austeridade financeira

Para se manter forte, o Palmeiras já definiu a sua linha de trabalho para o restante da temporada: ajuste de contas e salários dentro da realidade são as metas a serem cumpridas. A decisão ainda é reflexo de um 2020 complicado em termos financeiros em função da pandemia do novo coronavírus. Assim, se estruturar administrativamente é o caminho que a cúpula diretiva vai seguir.

Mesmo com a derrota para o São Paulo, que culminou com o vice-campeonato paulista neste domingo, os dirigentes entendem que o trabalho feito fora de campo até aqui é o ideal para manter o time como protagonista no cenário nacional e também sul-americano.

"Entendemos quais são as necessidades porque temos sempre que aprimorar o nosso grupo. A gente vai seguir de olho no trabalho de base e vai ao mercado de forma pontual. A ideia é buscar contratações específicas, muito parecido com o que fizemos no ano passado. Temos que ter o equilíbrio esportivo, administrativo e financeiro", afirmou o presidente Maurício Galiotte em meio à disputa do Campeonato Paulista.

O mandatário ressaltou também a importância da conquista de títulos sob a ótica financeira. Em 2020, o clube embolsou pouco mais de R$ 180 milhões com os títulos da Libertadores, da Copa do Brasil e do Paulistão. Neste final de semana, o Palmeiras inicia o Campeonato Brasileiro encarando o atual campeão Flamengo logo na primeira rodada. Já pela Copa do Brasil, a estreia acontece no dia 3 de junho, contra o CRB.

"As premiações (de títulos) que nós ganhamos minimizam o problema de fluxo de caixa, mas isso não resolve. Então, temos que ter muita responsabilidade para fazer as contratações. Sempre pensando que o Palmeiras tem que ter uma equipe competitiva e que tem que ser protagonista", comentou o dirigente.

Com um elenco considerado satisfatório pelo técnico Abel Ferreira, reforços serão bem analisados antes de aprovados pelo departamento de futebol. Após uma temporada no Al Duhail, do Catar, Dudu é reforço certo para o segundo semestre. O atacante retorna para dar mais opções ao setor ofensivo do Palmeiras. O seu vínculo com o time árabe termina no dia 30 de junho e, a partir daí, ele já pode ser reintegrado ao elenco, mas a tendência é de que só possa ser utilizado a partir de agosto.

O reforço chega num momento em que a Libertadores já passa a ser disputada em jogos eliminatórios. Além do torneio sul-americano, Dudu também vai ser peça importante para as disputas do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Flamengo, Atlético-MG, Grêmio, Internacional e o próprio São Paulo surgem como os principais rivais do Palmeiras na busca por mais taças este ano.

Além de repatriar o jogador, Abel Ferreira já pediu à diretoria mais um centroavante para ter uma alternativa a Luiz Adriano. Este atleta não veio. No entanto, Deyverson, de volta da Espanha, será inscrito e pode ser reintegrado ao elenco, mas é um nome que não agrada ao treinador português, que prefere Borja, outro que voltará de empréstimo. Diante da dificuldade em trazer novos nomes, uma velha fórmula deve continuar sendo usada: a integração com as categorias de base.

"Temos um elenco maravilhoso que suportou um calendário de jogos absurdo e conseguiu seus objetivos. Classificamos na fase de grupos e chegamos à final de um Campeonato Paulista", resumiu Abel Ferreira.

Últimas