Esportes Ao som de Beyoncé, Rodolpho Riskalla leva prata no hipismo adestramento em Tóquio

Ao som de Beyoncé, Rodolpho Riskalla leva prata no hipismo adestramento em Tóquio

Com uma grande apresentação, ao som de Aquarela do Brasil e de Halo, da cantora Beyoncé, o brasileiro Rodolpho Riskalla conquistou nesta quinta-feira a medalha de prata no hipismo na Paralimpíada de Tóquio-2020, na prova de adestramento classe IV, ao marcar 74.659 na pontuação total.

O brasileiro foi o terceiro a competir, antes de outros nove conjuntos. O brasileiro cumpriu todos os requisitos de movimentos exigidos no programa e demonstrou entrosamento com o cavalo, Don Henrico. Ao terminar a apresentação, foi possível ver Riskalla comemorando, enquanto sua comissão técnica gritava. Ele estava na primeira colocação.

Atual campeã mundial, a holandesa Sanne Voets conseguiu superar o brasileiro, com a pontuação de 76.585. O bronze ficou com o belga Manon Claeys.

No hipismo, cada grau de dificuldade é crescente de acordo com a avaliação e classificação funcional da deficiência (física ou visual) do atleta. Riskalla aderiu ao hipismo paralímpico em 2016, após perder a parte inferior das pernas, a mão direita e um dedo da mão esquerda por conta de uma meningite.

Até então, Riskalla competia no hipismo olímpico, que praticava desde os oito anos de idade, seguindo os passos do avô e da mãe, Rosangele - esta hoje é sua técnica. A irmão de Rodolpho, Vitória, também é amazona e participa na comissão técnica do irmão. Fora do esporte, o atleta trabalha como gerente de eventos da marca de moda Dior.

Rodolpho já conquistou duas medalhas de prata nos Jogos Equestres Mundiais de 2019, realizados em Tryon, nos Estados Unidos, e foi agraciado pela Federação Equestre Internacional (FEI, na sigla em francês) com a láurea Against All Odds (prêmio contra todas adversidades) em 2016.

Últimas